Tamanho da fonte: -A+A

No Canadá, dois importantes ministérios da área de economia foram alvos de um ciberataque provenientes de computadores chineses no mês passado.

De acordo com a agência de notícias Routers, a rede de comunicação CBC obteve informações de que os hackers invadiram os sistemas computacionais do departamento das Finanças e do Tesouro.

O ataque foi projetado para roubar senhas dos funcionários do ministério e obter acesso a outros sistemas do governo.

Segundo a Routers, um porta voz do ministro do Tesouro Stockwell Day informou a CBC que funcionários tinham detectado acesso não autorizado às redes de computadores do ministério, mas não garantiu que a invasão era de fato chinesa.

Em defesa da acusação, Ma Zhaoxu, porta voz do Ministério do Exterior Chinês, negou ligações do país com o ataque.

“Isso é puramente fictício! A China atribui grande importância à segurança na computação e consistentemente se opõe e reprime atividades de hackers, nos termos das leis e regulamentos internacionais", disse em entrevista.

Além do Canadá, mensagens diplomáticas americanas, divulgadas pelo WikiLeaks, atribuíram à China a culpa pelo ataque ao sistema do Google. Em 2009, o Wall Street Journal publicou que hackers relacionados ao país oriental violaram o projeto Joint Strike Fighter, do Pentágono.

Conforme a agência Routers, o incidente ocorreu num momento complicado para o governo conservador canadense, que atenuou as críticas aos problemas chineses de direitos humanos para tentar melhorar o relacionamento comercial com Pequim.