A TNS Research International divulga nesta sexta-feira, 16, o estudo “Decodificando as Necessidades Digitais” que pretende gerar reflexões para a atuação de marcas nessa mídia.

A pesquisa – que entrevistou mil usuários de internet, com 16 a 35 anos, em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Recife e Salvador – aponta que a maioria dos entrevistados (99%) utiliza prioritariamente a rede para enviar e receber emails.

Checar suas contas nas redes sociais é a segunda principal atividade (93%), seguida por participar de chats online/mensagens instantâneas (92%), fazer uploads de fotos ou vídeos ou escrever mensagens para suas redes sociais (90%) ou para o Twitter (44%).

O motivo que faz os internautas a utilizarem as redes sociais são acesso e compartilhamento de informações (43%), uso de espaço pessoal (32%) grupos de amigos (24%), mostrar diversas facetas da personalidade (22%) ou, ainda fugir da pressão diária e ter liberdade de expressão (21%).

De acordo com Ana Sequeira, gerente da área de Consumo da TNS Research International e responsável pelo estudo, as comunidades virtuais oferecem às empresas uma oportunidade de interagir e gerar identificação com o consumidor. “Mas isso deve ser feito de forma sutil e não invasiva”, avisa.

Um exemplo recente desse direcionamento foi a iniciativa da rede americana de café Starbucks que, por ocasião do recente terremoto no Haiti, reuniu em sua página no Facebook diversas celebridades que se propuseram a colaborar com a causa. “Foi uma forma eficaz de fazer marketing institucional sem lançar mão da propaganda direta”, analisa Ana.

O estudo da TNS constatou também que 56% dos entrevistados escrevem em blogs, 63% comentam experiências sobre produtos e serviços e 52% acessam essas mídias para obter informações sobre o que pretendem comprar.

“Reconhecer e potencializar os conteúdos desse canal, tornando o blogueiro conhecido dentro e fora da  rede é uma boa oportunidade para as marcas”, afirma a pesquisadora.

De acordo com os resultados do levantamento, 92% dos usuários de internet pesquisam sobre produtos ou serviços em sites de e-commerce ou comparam preços em websites e 76% procuram essas informações em fóruns ou blogs.

O boca-a-boca virtual também começa a ganhar credibilidade, uma vez que 50% deles já mudaram de opinião sobre a eventual compra de um produto, baseando-se em uma avaliação negativa e 28% decidiram uma compra em função de avaliação de fóruns.