O empreendedor da empresa FamilyLink Paul Allen – que não é o cofundador da Microsoft – estima em 10 milhões o número de usuários da ferramenta social Google +, lançada há duas semanas.

Atualmente aceitando cadastros apenas por convite, o Google + pode dobrar até o final de semana.

O concorrente principal Facebook, para chegar a 12 milhões, demorou dois anos.

Allen publicados em seu perfil no Google+, uma série de artigos com as estimativas da quantidade de pessoas na rede social nos últimos dias.

Para chegar a suas conclusões, Allen partiu de uma lista de sobrenomes mais populares fornecida pelo US Census Bureau. Então, o norte-americano contou as pessoas com esses sobrenomes no Google+.

Depois, extrapolou o número supondo que a porcentagem de pessoas com aqueles sobrenomes na rede social é similar à encontrada na população americana inteira.

No dia 4, a rede teria 1,7 milhão de usuários. No último sábado, dia 9, já eram 4,5 milhões.

Hoje, ele escreveu que a conta estava em 9,5 milhões e que a marca de 10 milhões seria ultrapassada amanhã. Num período de menos de 34 horas entre dois cálculos sucessivos, 2,2 milhões de pessoas aderiram à rede social do Google.

Se esse ritmo se mantiver, até o final desta semana, o Google+ terá mais de 20 milhões de usuários, calcula a versão online da revista Exame.