Créditos: Gabriela Verfe

Foi divulgada nesta terça-feira, 08, a quarta edição da pesquisa “O uso do e-mail marketing nas corporações brasileiras”, realizada pela WBI Brasil e Dinamize, em parceria com a Focal Pesquisas.

O estudo apontou que 71,5% das corporações entrevistadas utilizam essa mídia para a divulgação de produtos e serviços junto a seus clientes, contra 64,5% constatado na última edição da pesquisa, realizada em 2007.

Do total de empresas que fazem uso dessa mídia, 30,2% realizam envios semanais, 19,9% mensais, 15,1% quinzenais e 13,7% diários.

Entre as organizações que ainda não realizam ações de e-mail marketing, 37,5% planejam investir nesse tipo de mídia nos próximos meses.

O estudo foi realizado junto a 2.845 profissionais de organizações de diferentes segmentos de atuação em todo o país participantes das edições do Café COM Internet, evento sobre marketing digital promovido pela WBI Brasil nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, entre julho e novembro de 2009.

Das empresas consultadas, 60,1% pertencem ao setor de serviços, 16,3% ao comércio, e 7,6% à indústria.

O levantamento aponta ainda que 70,8% dos entrevistados disseram ter efetivado alguma compra online e/ou contratado algum serviço após receber a mídia. Em 2007, o índice foi de 64%.

Para o diretor de Marketing da WBI Brasil, Paulo Kendzerski, os principais propulsores para o crescimento no uso do e-mail marketing pelas empresas no país são a profissionalização dos gestores responsáveis pelas ações na web, a segmentação da base e o comportamento do consumidor quando do recebimento de uma peça de e-mail.

“O consumidor passou a identificar quais são as empresas que realizam ações que lhe interessam e o que é classificado como e-mail indesejado. Sendo assim, os percentuais de taxas de abertura/leitura têm crescido consideravelmente e em função disso a taxa de conversão em vendas oriundas dessa mídia mostra-se como uma das mais altas do mundo”, afirma Kendzerski.

A pesquisa, na íntegra, está disponível no link relacionado abaixo.