O mercado mundial de e-mail marketing, que no passado movimentou US$ 1,3 bilhão, deve crescer 53% até 2014, chegando a US$ 2 bilhões.

 
A projeção é da Forrester Research e foi divulgada pela Folha Online.
 
Os investimentos são menores do que os feitos em publicidade em sites como Facebook, Twitter ou Google+ – em anúncios laterais ou posts pagos, por exemplo-  de US$ 5 bilhões, segundo a Deloitte, mas mostram que o mercado ainda tem margem para crescer. 
 
Ao longo dos últimos anos, analistas de mercado previram a queda de investimento nesse meio de comunicação, incentivada por uma migração dos usuários dos serviços de correio eletrônico para as redes sociais.
 
“Com o crescimento da comunicação entre marcas e consumidores nas redes sociais, muitos acreditaram que o e-mail marketing iria morrer, mas isso não acontecerá tão cedo”, diz Adrian Drury, da consultoria britânica Ovum, ouvido pela Folha.
 
Segundo o especialista, a principal explicação está no fato de que a publicidade em redes sociais é mais utilizada para atrair consumidores para o primeiro contato com a marca, enquanto o e-mail marketing é usado para manter o relacionamento já criado entre empresa e cliente.
 
Números globais da Direct Marketers Association mostram que para cada dólar investido na ferramenta –algo em torno de R$ 1,95–, há retorno de US$ 44,25 (R$ 86) em novas vendas.
 
Confira a matéria da Folha na íntegra pelo link relacionado abaixo.