O Facebook não lançará um celular próprio.

A declaração foi dada pelo cofundador e CEO do site de relacionamentos, Mark Zuckerberg. O executivo apresentou novos recursos móveis do site em evento na sede da empresa, em Palo Alto, Califórnia.

Chamado de Facebook Mobile, o evento gerou expectativa quanto ao surgimento de um smartphone próprio do site.

“Existe um rumor de que o Facebook vai fazer um telefone. Não! A meta é fazer as coisas mais sociais, não importa em que plataforma elas sejam construídas”, disse Zuckerberg logo no início da apresentação.

Os rumores sobre o lançamento começaram em setembro.

O blog TechCrunch disse que uma fonte próxima ao projeto afirmou que a empresa estaria "criando o software para o aparelho e trabalhando com um fornecedor de hardware. Que é exatamente o que a Apple e todo o resto também faz".

Na época, o Facebook enviou um comunicado oficial negando toda a história. O TechCrunch, por outro lado, sustentou sua versão em um novo post, onde acusou o Facebook de "mentiroso".

Novidades na plataforma móvel
Segundo Zuckerberg, que aparoveitou o evento dessa quarta para anunciar a marca de 200 milhões de usuários usando o FB no celular,  o compromisso de sua equipe é dar condições de integrar e criar recursos mais sociais independente do ambiente em que se desenvolva.

Entre as novidades confirmadas está um novo sistema de login, que permite o acesso a aplicativos terceiros no celular usando as informações da conta do Facebook.

Nele, o usuário que já estiver logado na rede social poderá entrar automaticamente em outros programas do aparelho, além de serviços online. Os parceiros do Facebook no novo sistema de login único são: Yelp, Flixster, Loopt, BooYah e Scvngr.

Também foi apresentada uma plataforma de ofertas vinculada à geolocalização - a GAP, por exemplo, vai dar 10 mil calças jeans nos EUA por meio desse recurso.

Os recursos novos aparecem nas versões do Facebook para iPhone e Android.

Com mais de 500 milhões de usuários, o Facebook é o site de relacionamentos mais utilizado do planeta.

No Brasil, ainda perde para o Orkut, mas vem ganhando adesão. Enquanto o site do Google tem 29,4 milhões de visitas, com crescimento de 30% em um ano, o Facebook teve apenas 1,5 milhão, mas alta de 80% na comparação anual.