Biz Stone, cofundador do Twitter, defendeu a autossustentabilidade do microblog nessa quinta-feira, 03, ao dizer que a empresa não tem planos de abrir seu capital no futuro próximo e não precisa de capital adicional.

“Estamos fazendo dinheiro”, afirmou Stone, segundo a agência Reuters.

Biz Stone também negou as informações de que o JPMorgan Chase estaria negociando a compra de 10% do Twitter por US$ 450 milhões.

O negócio valorizaria o site para US$ 4,5 bilhões.

“Temos muito mais a fazer antes de pensar nisso”, disse Stone à agência, quando perguntado sobre as perspectivas de uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), durante um fórum de negócios em Seul.

Segundo Stone, o site sequer está discutindo o assunto internamente. A empresa, criada em 2006, emprega cerca de 350 pessoas.

No mês passado, a companhia de capital para empreendimentos de Marc Andreessen, co-fundador do Netscape, investiu US$ 80 milhões no Twitter.

Em dezembro, o Twitter anunciou ter levantado US$ 200 milhões em capital, em uma transação que avaliava a empresa em US$ 3,7 bilhões, menos de um ano depois que ela iniciou esforços para gerar lucro.

O grupo de venture capital Kleiner Perkins Caufield & Byers, do Vale do Silício, liderou a rodada, que incluiu investidores existentes do Twitter.