O novo projeto de rede social do Google se chamaria Mar de Esmeraldas, revela nesta quinta-feira, 02, o site Online Social Media (OSM).

Segundo o portal, o site oferecia um ambiente mais seguro para os usuários e, talvez, restrição de acesso a conteúdos conforme a faixa etária do usuário, o que evitaria que crianças entrassem em contato com pornografia, por exemplo.

Com essas características, a iniciativa foi louvada pelo OSM: “Isso poderia competir com o Facebook”, escreveu Tim Ollason, um dos colaboradores do site.

Conforme Ollason, o codinome da nova empreitada social do Google é Emerald Sea (Mar de Esmeraldas).

Apesar do sossegado apelido, a missão do projeto segue um rastro de naufrágios nas mídias sociais.

Projetos como o Lively (uma espécie de Second Life), Buzz (um microblog incorporado ao Gmail) e o Google Wave (a revolução do e-mail colaborativo) já naufragaram na estratégia de ingresso no social networking da empresa.

Na prática, o único projeto de sucesso em mídias sociais– o Orkut – segue ilhado, em audiência, no Brasil, onde lidera, com 70% dos acessos da internet, segundo dados da comScore para o mês de outubro.

“O Google é um centro de engenheiros, eles são especialistas em buscas, não em redes sociais”, explica Erik Qualman, autor do livro Socialnomics, em entrevista concedida ao Baguete em outubro, quando esteve em Porto Alegre.

Para Qualman, falta ao Google a “capacidade de entender o usuário”.

Enquanto isso, o Facebook lidera nos maiores mercados mundiais, com 500 milhões de usuários em todo o mundo, e o Twitter  – com 175 milhões de cadastrados – segue remando sozinho para se tornar um negócio rentável, apesar das propostas de compra, inclusive pelo Google.

"O Google ainda está procurando um espaço nas mídias sociais", finaliza Qualman.

Detalhes como data de lançamento do Emerald Sea não foram revelados. Aliás, o nome, segundo o site TechCrunch, já teria sido alterado de Emerald City (Cidade de Esmeraldas) dentro do próprio Google.