Android também fica de olho nas andanças do usuário

A descoberta de que os iPhones guardam dados das andanças dos usuários gerou temores entre os donos de aparelhos com a plataforma com maior acensão no mercado mobile, o Android, do Google.

Para acalmar os ânimos, o Google se explicou para o site Wall Street Journal (WSJ).

Segundo o site, todas as funções de compartilhamento geográfico do Android são escolhidas pelo usuário. Ou seja, o Android vigia os passos dos seus donos, mas os usuários optam por dividir ou não suas informações – a opção padrão, observa o jornal, é a que autoriza o compartilhamento.

“Qualquer localização que é enviada aos servidores do Google não é associada a um determinado usuário”, explicou o gigante das buscas.

Além disso, completa a empresa, quando um aparelho envia dados para os servidores do Google, ele ganha um número específico, mas esse código não é associado às informações do usuário.

iPhone preocupante
Na semana passada, dois pesquisadores norte-americanos divulgaram um arquivo de registro dos movimentos dos usuários nos aparelhos com o sistema operacional iOS 4, da Apple.

Segundo os pesquisadores, o arquivo é transferido para computadores quando são sincronizados com os dispositivos da Apple e também informa o horário em que o usuário esteve em determinada latitude e longitude.

As informações documentadas no arquivo “consolidated.db” podem ser vistas por qualquer pessoa que tenha acesso ao iPod, iPad ou computador do usuário. O iOS 4 foi lançado em junho de 2010.

Quando o usuário troca seus gadgets por novos aparelhos, os dados sobre sua localização também são migrados para eles.

À ocasião, os pesquisadores também tentaram encontrar em dispositivos Android, do Google, alguma brecha similar, mas não acharam. O próprio Google admitiu a possibilidade, posteriormente, ao WSJ.

Participação no mercado
Dados da Gartner para o ano de 2010 indicam que o Android é o segundo sistema operacional mais utilizado no mundo, com 22,7% de participação, quase seis vezes o resultado obtido no ano anterior.

O iOS é o quarto colocado, com 15,7% de participação - alta de 1,3 ponto percentual na comparação com 2009.

Symbian segue na ponta, com 37,6%, contra 46,9% no ano anterior. A RIM, do Blackberry, é a terceira colocada, com 16% de market share no mercado de smartphones no ano passado.

Não há informações sobre a guarda de dados dos usuários em outras plataformas.

Leia a matéria do Wall Street Journal (em inglês) nos links relacionados abaixo.