A IDC prevê um 2010 de altos e baixos para a indústria de soluções de armazenamento externo.

No primeiro semestre, este mercado deverá crescer, com impulso de setores como governo, manufatura, construção civil, farmacêutico e varejo. No segundo, porém, sofrerá uma retração, especialmente no setor público, em virtude da mudança no foco dos investimentos para serviços de maior valor agregado, em função da eleição presidencial.

A pesquisa indica dois motivos-chave para o crescimento do segmento de armazenamento no primeiro semestre: a busca das empresas por contenção de despesas e otimização de espaço.

Para atender a estas demandas, a desduplicação de dados desponta como a tecnologia indispensável da vez, por reduzir o TCO, segundo Waldemar Schuster, analista do mercado de storage da IDC para a América Latina.

“Apesar da tecnologia ainda não ser largamente adotada no país, os usuários estão gradativamente reconhecendo o valor da solução e irão investir em recursos para melhorar a infraestrutura de TI por meio da simplificação dos dados armazenados”, afirma ele.

Ainda de acordo com o analista, outros pontos que elevarão as oportunidades do setor de armazenamento de dados externo não só em 2010, mas nos anos seguintes, são a crescente exploração dos blocos do pré-sal, o que elevará os investimentos do setor petrolífero; e a infraestrutura de mobilidade para a Copa e os Jogos Olímpicos, com investimentos previstos em instalações esportivas.

“Toda a cadeia produtiva sofrerá efeitos positivos”, completa o analista.