Pesquisa apontam para uma retração nos semicondutores em nível mundial

Tamanho da fonte: -A+A

Os gastos mundiais com a fabricação de equipamentos semicondutores devem totalizar US$ 38,9 bilhões em 2012, um declínio de 11,6%, frente a 2011, quando os números atingiram US$ 44 bilhões.

As informações são do instituto Gartner.

Segundo a pesquisa da consultoria de mercado, o ano corrente manterá os baixos investimentos vistos no setor ao longo de 2011.

Crescimento maior deve ser visto apenas em 2013, quando as projeções indicam um total de US$ 43 bilhões, 10,5% de avanço, sobre 2012, nos cálculos da consultoria.

O Gartner não é o único instituto de pesquisa a apontar desaceleração nos semicondutores.

Estudo realizado pela KPMG LLP indica uma redução nas expectativas globais de receita e crescimento do setor de semicondutores para este ano, por executivos.

Apenas 41% dos entrevistados esperam que a receita vá crescer mais de 5% no próximo ano, em comparação aos 78% de há um ano, e 87% em 2009.

Eles também estão mais céticos em relação ao avanço na lucratividade, com apenas 30% antecipando um aumento de mais de 5% nos lucros nos próximos 12 meses, diante dos 37% que em 2010 previam esse patamar de elevação nos ganhos, diz a KPMG.

Conforme a KPMG, no entanto, o Brasil deve continuar em expansão no setor.

Somente no Rio Grande do Sul, a HT Micron, fábrica de semicondutores sul-coreana instalada no Tecnosisnos, anunciou investimento de mais de US$ 15 milhões para antecipar em um ano o início da produção de cartões de memória de 2 e 4 GB no estado.

Além disso, espera-se para este ano o funcionamento da Ceitec, instalada em Porto Alegre.