O CEO da Intel, Paul Otellini, confirmou que a empresa trabalha em uma versão do sistema operacional móvel Android 3.0 – codinome Honeycomb – para sua arquitetura x86.

Nos últimos 12 meses, a Intel tem ficado de fora das vendas de smartphones e outros portáteis, como os tablets, mercados ocupados pela concorrência – especialmente a ARM.

Agora, a empresa espera virar o jogo, num mercado que, segundo a consultoria Gartner, desacelera a cada trimestre, justamente em função do avanço dos dispositivos móveis, que pela primeira vez, em cinco anos, podem ocupar o lugar dos PCs na liderança da eletrônica de consumo.

“Seria muito frustrante se não víssemos telefones com processadores Intel à venda nos próximos 12 meses”, disse Otellini, segundo a BBC.

Otellini também revelou que a empresa está em negociações com fabricantes de notebooks para produzir tablets com processadores Atom com vários sistemas operacionais antes do final de 2011.

Na semana passada, a empresa lançou a plataforma Oak Trail, desenvolvida para tablets.

Maior fabricante de chips no mundo, a Intel teve receita de US$ 43,6 bilhões no ano passado. Ainda assim, segundo a consultoria iSuppli, a Samsung está encostando na liderança da Intel – a empresa é uma das participantes do Open Handset Alliance, que desenvolve e utiliza o Android.

Segundo a Gartner, porém, apesar das investidas do Android 3.0 e de fabricantes como Motorola e Samsung no mercado de tablets, o domínio deve seguir nas mãos da Apple, ao menos até 2015, diz a consultoria Gartner.

A expectativa é da venda de 70 milhões de tablets em 2011, aumentando para 108 milhões em 2012. Em 2010, a consultoria apurou a venda de 17,6 milhões de tablets.

De acordo com os números da empresa, a participação de mercado da Apple será maior que a do Android pelo menos até 2015.