Sílvio Torres

Tamanho da fonte: -A+A

A Link Monitoramento, empresa de Curitiba especializada em soluções para rastreamento de veículos, pessoas e objetos, comemora a expansão de sua rede de atuação por meio de franquias em 22 cidades do Paraná, Santa Catarina, Pernambuco e Distrito Federal em menos de um ano de atuação.

A companhia conta, hoje, com 26 franqueados, mas a meta é chegar a 60 ainda este ano e 300 até o final de 2012, distribuídas em todas as cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes.

Além disso, a Link prevê fomentar a estratégia de crescimento com investimentos da ordem de R$ 2,5 milhões em marketing, tecnologia, treinamentos e pesquisa de satisfação de clientes.

“O serviço de rastreamento será cada vez mais requisitado, especialmente com a queda gradativa de custos”, explica Sílvio Torres, diretor da Link. “O Brasil possui cerca de 50 milhões de veículos circulando atualmente, mas apenas 1,5 milhão são monitorados. Há um grande potencial de mercado, ainda mais com a Resolução 245 do Contran, que exige a instalação, a partir de julho de 2010, de rastreadores nos veículos automotores”, acrescenta.

A empresa curitibana, que conta com dez colaboradores diretos e 50 indiretos nas franquias e empresas terceirizadas, fornece equipamentos móveis de rastreamento para uso logístico, de segurança de cargas ou pessoal; e rastreadores de veículos, tudo com tecnologia GPS, GPRS e GMS.

Com o modelo de franquias, a meta da companhia é descentralizar as operações, atendendo aos clientes de cada estado localmente, com assistência técnica pontual realizada por funcionários próprios.

Segundo Torres, o modelo é focado no pequeno e médio investidor. O tempo médio entre a montagem das franquias e início do funcionamento é de dois meses. Já o investimento é de R$ 100 mil na taxa de franquia, R$ 70 mil na montagem, R$ 80 mil para capital de giro e R$ 16 mil de custo fixo mensal.

Conforme o diretor da empresa, as unidades são desenvolvidas para atender, no máximo, a quatro mil peças por mês. A rentabilidade liquida, quando este número é atingido, é estipulada em R$ 80 mil mensais.

“Com as soluções, é possível monitorar veículos, objetos e pessoas, sabendo onde estão num determinado momento e podendo limitar o espaço onde podem circular, por meio de rotas pré-estabelecidas ou cerca eletrônica”, explica Torres. “Também é possível definir limites de velocidade, calcular distâncias percorridas e informar o cliente de três em três minutos sobre o que está sendo monitorado”, complementa.