Paul Otelini

Tamanho da fonte: -A+A

A Intel divulgou resultados recordes para o primeiro trimestre de 2010. No período, a receita da companhia alcançou US$ 10,3 bilhões, valor 44% superior ao registrado no mesmo trimestre do ano passado, mas 3% abaixo do obtido no 4T09.

Já o lucro operacional ficou em US$ 3,4 bilhões, alta de 38% em relação ao trimestre passado e de 433% sobre o 1T09, e o lucro líquido, em US$ 2,4 bilhões, altas de 7% e 288%, respectivamente.

“Este foi o melhor primeiro trimestre da história da Intel”, comemora o presidente e CEO Paul Otellini.

Em resultados não-GAAP, que excluem amortizações por impostos, além do acordo com a AMD no valor de US$ 1,25 bilhão, na comparação com o quarto trimestre do ano passado, a receita da empresa registra queda de 3%, enquanto o lucro operacional baixa 8% e o líquido tem queda de 21%.

No trimestre atual, a Intel registrou recorde na receita de microprocessadores móveis. Já na divisão de data centers, os resultados tiveram queda trimestral de 8%. No segmento de arquitetura, a baixa foi de 9%.

Nos chipsets Intel Atom, a companhia obteve queda de 19% na receita, que foi de US$ 355 milhões.

Em relação a investimentos, no trimestre atual a Intel destinou US$ 3,1 bilhões à área de P&D.
Para o segundo trimestre, a perspectiva da companhia é obter receita em torno de US$ 10,2 bilhões.

A projeção não inclui os ganhos esperados com a venda do investimento da empresa na Numonyx, nem o efeito de quaisquer aquisições, alienações ou transações similares - que a Intel não descarta - a serem concluídas após o dia 12 de abril.

Já para o ano de 2010, a empresa espera um percentual de margem bruta de  64%, com margem de erro de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

A meta para investimentos em P&D é de US$ 6,4 bilhões.

Já a perspectiva de depreciação da Intel fica em aproximadamente US$ 4,4 bilhões para o ano, enquanto os gastos de capital esperados são de US$ 4,8 bilhões.