A Airwire, empresa de São Leopoldo especializada em soluções de redes, conectividade, telemetria e segurança eletrônica, é a responsável pelo projeto de vídeo-monitoramento do gasoduto Urucu-Coari-Manaus, da Petrobras.

A estrutura, inaugurada no Amazonas em novembro de 2009, contou com a Airwire para implantação de toda estrutura de câmeras, instaladas em todas as estações do gasoduto.

Isso permite que o Centro Nacional de Controle Operacional (CNCO) da Petrobras, que fica no Rio de Janeiro, possa controlar esses ambientes.

Em parceria com a Airwire, também atuou no projeto a Altus, localizada no Polo de Informática de São Leopoldo. A empresa forneceu todo o sistema de automação para o gasoduto.

O Urucu-Coari-Manaus tem 661 km de extensão e faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do governo federal. A ideia da estrutura é substituir o diesel e o óleo combustível pela energia gerada a partir do gás natural, o que evitará a emissão de mais de 1 milhão de toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano.

Conforme o diretor Comercial da Airwire, Armando Gessinger, este projeto consolida a empresa como uma integradora de soluções em vídeo-monitoramento.

Ele também ressalta a participação da Altus no projeto, que foi o maior contrato da história da companhia do Polo de São Leopoldo até hoje, somando valor total de R$ 50 milhões.

A Altus construiu sistema de automação, instrumentação, elétrica, telecomunicações e logística, automatizando 23 estações de controle ao longo do gasoduto.

Para tanto, a empresa chegou a instalar uma filial em Manaus, gerando mais de 100 empregos na região, um aumento de 50% no seu quadro funcional.

Leia mais no Baguete

O assunto foi matéria no Baguete, que pode ser conferida na íntegra pelo link relacionado abaixo.