Contrariando previsões dos últimos anos, a IDC, International Data Corporation, acredita que os tablets não vão provocar o fim dos netbooks, como informa a ComputerWorld.

Bob O'Donnell, vice-presidente para clientes e displays da empresa, afirma que, embora, atualmente, os tablets sejam o centro das atenções, o IDC não espera que eles acabem com os netbooks.

"A chegada dos tablets não registrou grande impacto sobre a demanda de netbooks, em especial aos voltados para a área educacional, de países em desenvolvimento com grandes iniciativas governamentais", diz O’Donnell. 

O IDC espera que as vendas de netbooks continuem a crescer, mas em um ritmo inferior ao dos últimos anos. A previsão da companhia é de que 37,8 milhões de unidades sejam vendidas em 2010, um número 10,3% superior ao do ano passado. Para os próximos quatro anos, a taxa composta de crescimento anual para o mercado mundial será de 4,3%, chegando a 42,4 milhões de unidades vendidas em 2014.

Em termos regionais, América Latina, Europa Central e Oriental, Oriente Médio e África representam o maior potencial de mercado para os netbooks. Com o incentivo dos governos locais em levar os produtos para a sala de aul, a taxa composta de crescimento anual para os próximos cinco anos nessas regiões deve ultrapassar os 20%. Em contraste, na Europa Ocidental espera-se uma diminuição de 11% entre 2009 e 2014.

Os líderes de vendas continuam sendo a Acer e a Asus: juntas elas representaram 42,6% do mercado mundial em 2009 e aumentaram ligeiramente a sua participação no primeiro semestre de 2010. A HP continua em terceiro lugar, seguida pela Samsung e pela Dell.