Mercado de semicondutores deve voltar à normalidade

Depois das fortes vendas do início do ano, o setor de semicondutores está passando por um momento de demanda enfraquecida na segunda metade de 2010, cenário que é visto com alívio por executivos da indústria de chips.

"O que estamos vendo no segundo semestre é o retorno à normalidade", disse Peter Bauer, presidente-executivo da Infineon, segundo a agência Reuters.

Para Bauer, o primeiro semestre de 2010 foi de crescimento na demanda da indústria que não estava relacionado à demanda de por parte dos consumidores.

A impressão do executivo ganha respaldo de analistas de mercado. Segundo a Gartner, as vendas do primeiro semestre ficaram bem acima da média dos anos anteriores não devem manter o ritmo nos últimos seis meses de 2010 – a exemplo das projeções para a indústria de PCs.

O crescimento mais tímido também deve se estender ao próximo ano, quando a consultoria espera que o mercado atinja receitas de US$ 314 bilhões.

Conforme a Reuters, as fabricantes de processadores sofreram um forte revés na demanda depois que as empresas de tecnologia reduziram drasticamente seus estoques durante a crise. Passada a turbulência financeira, seguiu-se uma alta na demanda, com a recomposição dos estoques.

Tal retomada forçou a indústria de chips a elevar rapidamente a produção para atender os clientes.

O crescimento no setor previsto para 2010 é de 35%, chegando a US$ 310 bilhões, segundo a consultoria iSuppli. O volume negociado pode colocar a indústria de chips de volta ao nível anterior à recessão.

"A indústria passou por maus momentos mas parece estar bem", disse Henri Richard, vice-presidente da norte-americana Freescale, durante evento do setor em Munique.

A expectativa do presidente-executivo da STMicroelectronics, Carlo Bozzotti, é de que indústria cresça de 5% a 10% em 2011.