Tamanho da fonte: -A+A

A Consumer Reports descartou o bug racista no Kinect, lançado comercialmente nesta semana pela Microsoft.

Horas após a sua apresentação, o Kinect – sensor de movimentos que permite jogar games do Xbox 360 sem joystick – criou polêmica. Em alguns testes, usuários relataram que o Kinect tem dificuldade em reconhecer jogadores com a pele escura.

Segundo a Consumer Reports, organização dedicada ao teste de eletrônicos, não se trata de um problema de discriminação de usuários negros.

“Os problemas de reconhecimento estão relacionados à pouca iluminação em ambientes, e não à cor da pele dos jogadores”, escreve a CR no seu blog.

No relatório, a entidade lembra outro caso similar, em que a webcam da HP tinha dificuldades em reconhecer um usuário negro. “Estes equipamentos precisam de luz e contraste suficientes para determinar os pontos de reconhecimento no rosto de uma pessoa e fazer o log in automático de alguém”, acrescenta o documento.

Os testes da CR foram feitos com dois usuários, um de pele branca e outro de pele negra. Nos dois casos, a dupla foi reconhecida sem dificuldades num ambiente bem iluminado. Quando a luz ambiente diminuía, a dupla não foi reconhecida.

Segundo a organização, o reconhecimento só ocorre no caso de log in automático. Outras funções do controle não foram afetadas.

No Brasil, o Kinect será lançado em 18 de novembro, por R$ 599. O acessório, apresentado no início do ano na feira de games E3, reconhece os movimentos e a fala dos jogadores a partir de um conjunto de câmeras e microfones. O sistema inclui o game Kinect Adventures.

O vídeo do teste pode ser conferido abaixo.