O reitor da PUC-RS, Joaquim Clotet, e o presidente da Ceitec, Eduard R. Weichselbaumer

A PUC-RS e o Ceitec assinaram nesta terça-feira, 04, um convênio voltado à pesquisa e desenvolvimento, além de especialização de mão de obra, na área de semicondutores. O primeiro foco da parceria será o segmento de TV Digital, no qual a universidade já possui projetos, incluindo um case de transmissão já em uso pelo Grupo RBS.

Hoje, o Ceitec está apto a fabricar chips para RFID. Em TV Digital, há tecnologia para desenvolvimento e produção, mas a fabricação dependeria do envolvimento de uma empresa de fora do país.

Como a PUC-RS detém patente nesta área, os ganhos com propriedade intelectual estão assegurados, independentemente de onde tenha de ser fabricado um eventual microcircuito produzido para esta área.

E por falar em ganhos, segundo o presidente do Ceitec, Eduard R. Weichselbaumer, o convênio é um passo importante para a trajetória de lucros que o Ceitec pode gerar.

"No Brasil, 1,9% do PIB é gerado pela indústria eletrônica. Acreditamos que em oito anos possamos passar para 8% do PIB. Isso significa que Porto Alegre tem um potencial de gerar US$ 800 bilhões em eletrônica a partir da atração de empresas de alta tecnologia, como o Ceitec", afirmou Weichselbaumer, que destaca o fato de a estatal ser a única fábrica de semicondutores da América Latina.

Já o reitor da PUC-RS, Joaquim Clotet, ressalta a parceria como um fomento à expansão da capacidade de capacitação de mão-de-obra no estado.

Segundo detalha o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC-RS, Jorge Audy, as demandas apresentadas pelo Ceitec servirão para incrementar o currículo das formações, pós-graduações e cursos de educação continuada da instituição.

Recursos humanos que serão muito bem vindos: hoje, o Ceitec já formou, à custa de importação e repatriação de cérebros, além da formação “in job”, uma equipe de aproximadamente 120 engenheiros e projetistas. Até o fim do ano, a meta é chegar a cerca de 250 profissionais.
Meta que passa pelo plano de investimentos da estatal, alicerçado em recursos do governo federal.

“Desde o início do Ceitec, R$ 400 milhões já foram investidos. Ainda este ano, prevemos investimento de mais R$ 100 milhões”, comenta o presidente do Ceitec, Eduard R. Weichselbaumer.