Pelo menos 300 professores da rede pública de ensino gaúcha que adquiriram computadores pelo programa Professor Digital foram afetados por atrasos na entrega das máquinas nesse começo de ano.

Segundo a Secretaria da Educação (SEC) do Rio Grande do Sul, o problema afeta clientes da Lenovo. Uma troca no sistema de faturamento na virada do ano teria provocado os atrasos.

Conforme a Secretaria, os computadores com prazo de entrega estourados já estão sendo entregues, e o problema deve ser corrigido em duas semanas.

Prazo estourado
A reportagem do Baguete Diário soube da demora através do relato de um leitor, identificado como Vinícius Lima.

Segundo Lima, sua mãe (que não teve o nome revelado), professora da rede estadual gaúcha, fez a compra em outubro do ano passado. O prazo para entrega ia até dezembro. Encerrado o limite de tempo, foram avisados de que o equipamento seria entregue até 15 de janeiro.

“O prazo foi descumprido mais uma vez”, relatou Lima, já que na primeira semana de fevereiro o computador ainda não estava nas mãos da cliente.

Lima não é o único a se manifestar na internet. No site Reclame Aqui, uma internauta também protesta pelo atraso, dizendo que foi informada pela Lenovo de que um problema no faturamento provocou a demora nas entregas.

O que fazer em caso de atraso?
De acordo com a SEC, que confirmou o atraso por parte da Lenovo, a responsabilidade pela entrega dos equipamentos é do fabricante.

No edital, o prazo para entrega era de 60 dias.

Depois de ter o computador em mãos, o contato deve ser feito diretamente com o fabricante e seus canais autorizados, como assistências técnicas.

50 mil PCs financiados
No total, o programa Professor Digital, encerrado em 24 de dezembro, foi responsável pelo financiamento de 50 mil computadores a professores das redes municipal e estadual de ensino.

O Banrisul financiava 100% do valor do produto, com prazo para o pagamento em 24 ou 36 meses e parcela mensal a partir de R$ 34,89.

Os valores iam de R$ 1.600 para um HP Compaq 420 com Windows e Office até R$ 1.256 por um CCE GT com Open Suse e BrOffice. Em opções intermediárias de preço também estão disponíveis máquinas Lenovo, Positivo e Itautec.

O Banrisul não revela quantas máquinas de cada marca e sistema operacional foram compradas.

O programa continua até 31 de março na municipal.