Novo RG terá impacto na TI

03/01/2011 17:47

O novo documento de identificação civil lançado na última quinta-feira, 30, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da justiça Luiz Paulo Barreto, começa a ser implantado no projeto piloto de 2011 e visa ampliar a digitalização no país.

A novidade possui 17 itens de segurança para impedir fraudes, tem validade de 20 anos e substitui a carteira de identidade por um cartão com chip, biometria e certificado digital.

Registro de Identificação Civil - Frente

Tamanho da fonte: -A+A

O novo documento de identificação civil lançado na última quinta-feira, 30, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo ministro da justiça Luiz Paulo Barreto, começa a ser implantado no projeto piloto de 2011 e visa ampliar a digitalização no país.

A novidade possui 17 itens de segurança para impedir fraudes, tem validade de 20 anos e substitui a carteira de identidade por um cartão com chip, biometria e certificado digital.

De acordo com Luiz Paulo Barreto, ministro da justiça, a substituição terá um impacto considerável em relação à tecnologia, já que a utilização do documento impulsionará a migração dos cidadãos para as redes sociais e internet.

A emissão do RIC será custeada, em um primeiro momento, pelo Ministério da Justiça e obedecerá ao cronograma geral do projeto, que estabelece a distribuição de 2 milhões de cartões em 2011, 8 milhões em 2012 e 20 milhões por ano até cobrir o RG atual.

As primeiras cidades que recebem o projeto são Brasília, Rio de Janeiro e Salvador.

Segundo Barreto, o investimento com a tecnologia será de R$90 milhões, apenas em 2011.

Além disso, o ministro aponta que serão necessárias algumas parcerias público-privadas e financiamentos internacionais para custear a emissão do RIC ao longo dos anos.

Veja também

Certificação digital gratuita para pequenas em SP

A Secretaria da Fazenda e a Imprensa Oficial do estado de São Paulo firmam acordo que fornecerá certificação digital gratuita para 800 mil micro e pequenas empresas paulistas em 2011.

A iniciativa permitirá que as companhias, que faturam até R$ 2,4 milhões por ano, utilizem o serviço Domicilio Eletrônico do Contribuinte, um canal de comunicação direta entre a Fazenda e as empresas.

STJ sustenta legalidade do ponto eletrônico

O Superior Tribunal de Justiça considerou legal a portaria que regulamenta o uso do ponto eletrônico para controle de frequência de funcionários.

A ministra Eliana Calmon, relatora do recurso que pedia a suspensão da norma, alegou que a portaria está de acordo com a Constituição Federal.

Biometria elimina senhas no Bradesco
O Bradesco prepara-se para adoção de um sistema de biometria para identificação de clientes em terminais de autoatendimento, os chamados ATMs.

Com isso, será desnecessário o uso de senhas nos terminais: para usar os serviços, bastará o cliente se identificar pela palma da mão.

O método está em fase de testes e, segundo o vice-presidente de Tecnologia do Bradesco, Laércio Albino Cezar, já foi comprovado como “100% seguro”.