Felipe Basso.

O jornalista e colunista do Baguete, Felipe Basso, lança na Feira do Livro de Porto Alegre, nesta terça-feira, às 20h, o livro A Persistência do Amor.

A obra é uma homenagem ao trabalho do cronista mineiro Paulo Mendes Campos. 

A obra recria as 74 crônicas reunidas no livro O Amor acaba – crônicas líricas e existências - uma das mais importantes coletâneas de Mendes Campos.

A proposta criativa foi manter os títulos originais do livro base, na exata ordem das crônicas do original. Contudo, nada além dos títulos: são todos textos inéditos, bem como seus temas, livres.

Organizado pelo escritor Rubem Penz, o livro traz ainda a assinatura dos cronistas Ana Luiza Tonietto Lovato, André Hofmeister, Dora Almeida, José Elias Flores Jr., Linda Grossi, Maria Isabel Arbo, Maria Lucia Meirelles, Marta Leiria, Michele Justo Iost, Patrícia Franz, Paula Luersen, Silvia Duncan e Tetê Lopes.

Nascido em 1922, Paulo Mendes Campos integra a geração de escritores mineiros as quais pertencem também Otto Lara Resende, Helio Peregrino, Fernando Sabino e Murilo Rubião.

Terceiro de oito filhos, veio para o Rio de Janeiro em 1945, com o objetivo de conhecer o poeta Pablo Neruda, porém, acabou ficando e se empregando em redações de jornais. 

Também foi, durante anos, um dos cronistas efetivos da revista Manchete e Diretor de Obras Raras da Biblioteca Nacional.

Versos em prosa (trecho)

“O amor é incapaz de durar para sempre. O amor é breve (e precisa sê-lo) porque é belo, e uma beleza ferida não sobrevive ao tempo; ela se despedaça, se quebra e nos corta, tal qual os restos do cristal após violentamente ter sido jogado contra a parede. Ó, filhos meus, amigos e irmãos, como o profeta, em verdade, em verdade, vos digo: não enfrenteis a fúria do amor, se não estiveres dispostos à entregar-lhe tudo. Pois o amor, como eu vi, não passa de uma brincadeira de criança, real e dramática como só uma brincadeira de criança pode se tornar.”