Neste caso, nem tecnologia de ponta salva. Foto: reprodução.

O Detran-RS prepara uma grande mudança para os testes práticos de direção, com o emprego de scanners biométricos, tablets, geolocalização e câmeras nas avaliações para os novos motoristas.

O departamento está na fase final de preparação do processo licitatório para a compra dos equipamentos, que chegarão para modernizar as provas nos centros de formação de condutores (CFCs) do estado.

As provas terão identificação biométrica do candidato e câmeras com capacidade para filmar dentro e fora do veículo, registrando todas as etapas da prova.

Para os instrutores, sai o papel e entram os tablets no registro de faltas e resultados. Durante a prova, o examinador preencherá o check list com os erros e acertos do candidato. O percurso e a velocidade do veículo também podem ser monitorados.

As imagens serão monitoradas pelo Detran por meio de uma central, acompanhando as provas em tempo real. Os resultados serão arquivados como prova da legitimidade do resultado.

Para ilustrar a proposta, o departamento disponibilizou online uma demonstração passo-a-passo de como os testes ficarão com o uso das novas tecnologias.

A iniciativa tem como objetivo dar transparência total ao processo, padronizando os procedimentos e evitando possíveis fraudes.

"Essa tecnologia vai qualificar o processo de exames de forma inédita. Iniciará de forma piloto em Porto Alegre e, após os ajustes necessários, se estenderá para todo o Estado", destaca o presidente do Detran-RS, Alessandro Barcellos.

TECNOLOGIA NAS AUTO ESCOLAS

Além do projeto gaúcho, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) deve regulamentar nos próximos dias a obrigatoriedade do uso de simuladores virtuais de direção nas auto escolas.

A ideia, apresentada no 27º Salão do Automóvel de São Paulo, tem o objetivo de usar a realidade virtual para melhorar o processo de formação de motoristas, desenvolvendo as habilidades sensoriais e motoras do aluno, criando situações de tráfego intenso em ambiente seguro.

Segundo o Ministério das Cidades, estudos feitos pelo governo dos EUA comprovaram que o uso de simulações podem reduzir pela metade o número de acidentes nos 24 meses após a retirada da carteira de motorista.