João Geroldo.

O Sevna, aceleradora de empresas com sede no Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, é a primeira do país a entrar na Global Accelerator Network, uma rede mundial com outros 103 empreendimentos do tipo.

A GAN foi lançada em 2010, por dois co-fundadores da aceleradora Techstars, uma das mais importantes dos Estados Unidos, e começou a operar de forma independente em janeiro de 2014. 

“Existem critérios rigorosos para uma aceleradora fazer parte deste grupo, e é por isso que os membros da GAN são respeitados em qualquer lugar. Como parte deste grupo, poderemos oferecer às nossas startups o acesso ao capital humano e financeiro de que precisam para competir globalmente.”, afirma João Geroldo, co-fundador e CEO do Sevna.

Ao todo, as aceleradoras do GAN estão envolvidas com 9.500 startups em 140 cidades do mundo. 

A maior delas é a Techstars, uma aceleradora fundada em 2006 que detém participação em 1 mil startups cuja capitalização total bate nos US$ 10 bilhões.

O Sevna foi criado em 2015 e já promoveu quatro ciclos de aceleração completos, reunindo hoje um portfólio de 20 startups, cujo valor está estimado em R$ 30 milhões.

Com 682 mil habitantes, Ribeirão Preto é a oitava maior cidade de São Paulo e um polo de TI em expansão.

O parque tecnológico no qual o Sevna está localizado foi inaugurado em 2015, por uma parceria entre Universidade de São Paulo (USP), Fundação Instituto Pólo Avançado da Saúde (Fipase), secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação de São Paulo e prefeitura de Ribeirão Preto.

Em 2013, 27 das 42 empresas pertencentes ao Piso (Polo Industrial de Softwares) faturaram sozinhas R$ 243,5 milhões.