Equipe da Prosa.

A Prosa Electric Control é uma startup gaúcha que se propõe controlar o consumo de energia elétrica de diferentes equipamentos por meio de um dispositivo ligado na tomada conectado por wifi a um aplicativo.

Os planos são ousados. A empresa quer produzir 200 mil unidades em 24 meses e conquistar até 15% do mercado nacional desse segmento. A promessa é cortar em 25% o custo da conta de luz numa residência.

Até o momento, a Prosa tem duas opções à venda: o Prosa Volt, um produto de uso genérico, e o Prosa Lumen, focado em iluminação residencial. Eles saem por R$ 749 e R$ 589, respectivamente.

Está em fase de desenvolvimento o Prosa Shower, um equipamento de controle e redução do consumo dos chuveiros elétricos, presentes em 80% dos lares brasileiros e normalmente os maiores consumidores de energia de uma casa. Planos de assinatura também estão nos planos.

“Como diferencial, a startup investe na força do design em todos os pontos do processo de um negócio, gerando produtos funcionais e que façam sentido para a realidade das casas brasileiras”, comenta  Jonatas Hauschildt, um dos sócios da Prosa EC. 

Hauschildt é também fundador da Passo Involve Design, uma consultoria de projetos de venture building para startups, e criou a prosa com Guilherme Eckert, um engenheiro elétrico formado pela UFRGS.

O mercado de controle de consumo de energia elétrica parece estar em alta.

Recentemente, a GreenAnt, uma startup carioca focada nesse setor, captou R$ 1,6 milhão através do EqSeed, uma plataforma online de equity crowdfunding.

Foi o maior financiamento já feito no EqSeed, ao todo, 109 investidores colocaram dinheiro na empresa, com um aporte médio de R$ 15 mil. 

A abordagem da GreenAnt, no entanto, é um pouco diferente da Prosa. A GreenAnt faz desagregação de cargas elétricas.

Dito assim parece algo complicado (e de fato é um campo avançado de pesquisa em Engenharia Elétrica), mas a aplicação é simples de entender. 

O algoritmo criado pela GreenAnt reconhece padrões de consumo de cada eletrodoméstico, indicando individualmente o consumo de cada um deles, a partir de uma medição única na entrada. 

Os dados coletados pela GreenAnt ficam na nuvem, assim é possível comparar o desempenho de uma geladeira versus a média do produto, por exemplo. Um hotel pode economizar muito dinheiro localizando uma centena de frigobares deficientes.

Já os equipamentos da startup gaúcha atuam diretamente sobre os equipamentos, no lugar de informar sobre o consumo, permitindo ainda o controle remoto dos mesmos.