Se o call center fosse em Jeriquaquara, quem não mandaria um CV? Foto: flickr.com/photos/31088445@N00/

Tamanho da fonte: -A+A

A GVT escolheu Fortaleza para construir um call center de 4 mil metros quadrados.

Em nota, a operadora não revelou quanto será investido ou quantos profissionais serão contratados para o novo centro, a ser inaugurado até o final do ano.

“A escolha da capital cearense deve-se à relevância da região, qualidade da mão de obra e baixos índices de rotatividade dos trabalhadores“, afirma na nota a GVT, que até agora concentrava seu atendimento no Sul do país, com 4 mil colaboradores em Curitiba e Maringá.

A GVT não terceiriza seu atendimento, atuando exclusivamente com call centers formados por funcionários próprios.

As cidades paranaenses devem seguir concentrando a maior parte do atendimento.

O call center da Atendebem, em São Leopoldo, mantém 800 posições de atendimento em uma área de 7 mil metros quadrados de área construída.

Se o GVT seguir uma proporção parecida – o que é provável, já que o setor tem regulações específicas sobre o espaço por PA – poderá instalar 800 posições na capital cearense, que operando em dois turnos empregariam 1,6 mil pessoas.