PRIVATIZAÇÃO

Caixa vai vender subsidiárias

31/01/2019 06:32

Anúncio é o primeiro grande passo do governo em vender ativos.

Loterias vão para as mãos da iniciativa privada. Foto: Divulgação Caixa.

Tamanho da fonte: -A+A

A Caixa Econômica Federal quer vender todos os ativos que não fazem parte da atividade principal do banco, uma decisão que afeta quatro subsidiárias nas áreas de loterias, seguros, cartões e gestão de recursos.

A decisão foi anunciada pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, durante um evento do banco Credit Suisse para investidores em São Paulo nesta quarta-feira, 30, relata o DCI.

A abertura deve ser feita até junho 2020 através das bolsas de São Paulo e Nova Iorque, trazendo  R$ 40 bilhões que serão usados para pagar aportes feitos pelo governo no banco.

Guimarães explicou que a ideia não é vender 100% da participação da Caixa, mas fazer uma abertura de capitais aos poucos.

Ele afirmou que pelo menos dois ativos serão vendidos ainda este ano e que o primeiro deve ser o de loterias. 

O anúncio de Guimarães é o primeiro grande anúncio de privatização feito pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), que fez campanha defendendo esse tipo de medidas.

Salim Mattar, fundador da Localiza, foi nomeado secretário especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, afirmando que apenas o core das atividades de Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Federal eram intocáveis.

Até agora, no entanto, pouco aconteceu. No começo do mês, o Estadão divulgou que o Ceitec, estatal de fabricação de chips sediada em Porto Alegre, e a Valec, estatal do setor de ferrovias, seriam fechadas (o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, fez uma defesa morna da Ceitec no dia seguinte).

Ainda segundo o Estadão, a chamada liquidação deve ser aprovada pelo conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), colegiado formado por ministérios e bancos públicos, além da Presidência da República, em uma reunião em fevereiro.

Embora tenham entrado nas empresas por meio de concurso público, os empregados serão demitidos, pois, com a liquidação, as atividades das estatais serão encerradas. 

A opção pela liquidação ocorre porque não há interesse do mercado em comprar essas companhias, o que inviabiliza uma tentativa de privatização, afirma o jornal paulista.

Veja também

GOVERNO
Estatal de TI do BB segue a mil

BB Tecnologia e Serviços, cujo futuro é incerto, fechou um contrato de R$ 59,5 milhões.

CARREIRA
Oi tem diretor de vendas para governo

Maurício Velloso tem mais de 27 anos de experiência.

CURRÍCULOS
Governo quer abrir dados do Sine

Informações poderiam ser usadas por empresas que desenvolvem aplicativos de emprego.

FAÇA O QUE EU DIGO
Google contra o uso de e-mail

Mas não faça o que eu faço: gigante tenta impedir funcionários de se organizar por e-mail.

CERTIFICADOS
Ex-vereador gaúcho assume ITI

ITI é responsável por regular o mercado de certificados digitais no país.

ANTIPROPINAS
AX4B tem ISO 37001

Parceira Microsoft é a 1a do país a anunciar compliance com nova regra anti-corrupção.

REFORÇO
Nivio Ziviani, criador da Akwan, está na Petrobras

Governo colocou fundador de startups de sucesso no conselho da petroleira.

ESTATAIS
Hipárcio Stoffel será o presidente da Procergs

Nome é o mais cotado nos rumores ouvidos pela reportagem do Baguete.

CIDADES
Seadi, ex-Procempa, assume Canoastec

Profissional deixou cargo de diretoria em Porto Alegre para assumir comando em Canoas.

VAI OU NÃO?
Pontes faz defesa morna do Ceitec

Ministro de Ciência e Tecnologia diz que assunto ainda não está decidido.