Nextel aposta no 4G. Foto: divulgação.

A Nextel está aos poucos se preparando para aumentar sua competitividade com as grandes operadoras do país. Especializada na tecnologia móvel iDEN, de chamadas de voz via rádio push-to-talk (PTT), agora a operadora se prepara para implantar sua rede 4G no país.

Com isso, a operadora pretende aposentar o rádio e usar a banda larga móvel de alta velocidade para oferecer seus serviços de voz e dados.

O novo posicionamento da Nextel vem no rastro de uma parceria fechada com a Telefônica, controladora da Vivo, para o uso da rede 3G da Telefônica/Vivo no Brasil e da Movistar no México.

Com a parceria, a empresa já expandiu o atendimento 3G de 300 localidades para mais de 3,1 mil municípios que contam com cobertura da Vivo.

Ainda assim, mesmo com o avanço, a Nextel tem um longo caminho para nadar com os tubarões na telefonia móvel brasileira. Embora seu serviço de iDEN tenha penetração principalmente no meio empresarial, a base 3G é incipiente, com apenas 318 mil clientes no país.

Em comparação, a Telefônica, que ocupa o primeiro lugar de market share segundo a Anatel, tem mais de 77 milhões de clientes de celular, o que representa uma fatia de 28,49% no mercado.

Quanto ao 4G, o início da operação da Nextel será no Rio de Janeiro, e utilizará a faixa de frequência de 1,8 GHz para o serviço. A ideia da empresa é estar com ela no ar antes da Copa do Mundo.

O valor do investimento na rede não foi aberto, mas faz parte do total de US$ 900 milhões que a empresa investiu no país nos últimos dois anos. Outro plano para a expansão do 4G é fazer com a Vivo um acordo semelhante ao do 3G, para oferecer o serviço em mais cidades.

Na parte comercial, a Nextel firmou parcerias com marcas de peso como a Apple e Motorola, passando a oferecer aparelhos como iPhone 5C e 5S para os clientes 4G.

A Nextel pretende puxar o plugue da rede iDEN, mas não vai aposentar os serviços de voz. Através de um aplicativo próprio - chamado Prip (onomatopéia para o baruilho que os aparelhos de rádio fazem) - a empresa emulará o uso do rádio nos smartphones, mas rodando através voIP via 4G.

Nos Estados Unidos, está disponível desde julho do ano passado na rede da Sprint, que comprou a Nextel naquele país e, em 2013, virou subsidiária da SoftBank. A Sprint desligou a rede iDEN em junho.

O plano da operadora é que os atuais usuários de iDEN no Brasil migrem para o aplicativo e a rede de rádio possa ser desligada em alguns anos.