Lucrécia de Oliveira. Foto: divulgação

A catarinense Benner lança um serviço de BPO de gestão de planos de saúde.

Conforme Lucrécia de Oliveira, diretora de Negócios da companhia catarinense, o BPO será prestado pela Aite, braço de serviços do grupo especializado na gestão de internados e auditoria médica.

“É um serviço destinado principalmente a operadoras em regime de autogestão, permitindo gerenciamento de 100% do sistema de assistência médica, com redução de custos assistenciais e administrativos”, comenta ela.
 
A nova oferta se divide em quatro pilares: Prevenção em Saúde, Inteligência do Negócio, Gestão Operacional e Relacionamento Assistencial.

Além disso, inclui a gestão da carteira de beneficiários e a rede credenciada, central de suporte a prestadores, auditoria de contas médicas e processamento de contas e obrigações junto ao órgão regulador.

Consultoria, informática, suporte técnico e treinamento também entra no pacote.

“Para completar, dispomos de equipe especializada que assume o apoio nas centrais de atendimento e de regulação”, comenta Lucrécia.
 
O lançamento do BPO reforça a Benner no campo da saúde suplementar, para o qual já oferecia uma plataforma de sistemas para operadoras de serviços.

O portfólio também traz o PINS (Portal de Inteligência em Negócios de Saúde), portal de relacionamento com os prestadores e credenciados, workflow, autorizador web e GED, entre outras soluções.

Também podem ser incluídos no pacote infraestrutura de TI e data center Tier 3.   
 
Na vertical de sáude, a Benner também atende na área de gestão hospitalar.

Foco em um setor que, segundo dados da Ernst&Young, deverá ter alta 9,19% no faturamento no país este ano, chegando a R$ 36,74 bilhões, estimulado pela expansão de 2,22% no volume de vendas.

Outros segmentos no escopo da companhia catarinense são logística, governança jurídica e contratos, gestão de viagens corporativas e sistemas de ERP, BI e outros.

A área de serviços traz BPO, cloud computing, EaaS e SaaS.

Em agosto do ano passado, a companhia se fusionou em uma joint venture com parte do Grupo TBA, criando a Globalweb, que em seguida incorporou a Compusoftware, representante da Microsoft no Brasil.

Com faturamento anual na casa dos R$ 300 milhões, a GlobalWeb emprega 750 colaboradores e tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e EUA.
 
Quando de sua fusão, no ano passado, o grupo anunciou meta de faturar R$ 500 milhões até 2014, com taxa de crescimento anual de 25% a 28% e aquisições.