Gilberto Titericz.

Gilberto Titericz, um ex-engenheiro elétrico da Petrobrás, arrumou um emprego na sede do Airbnb em São Francisco, na Califórnia, através da participação no Kaggle, um site no qual os participantes competem resolvendo problemas relacionados a Big Data.

A história do brasileiro é tema de uma matéria da Wired.

Segundo publica a prestigiada revista de tecnologia, Titericz se tornou o número 1 no ranking do Kaggle no final de 2015 e pediu demissão do seu emprego na área de manutenção de sensores da estatal brasileira de petróleo para aceitar uma oferta de trabalho nos Estados Unidos.

A Petrobrás conseguiu manter o profissional um pouco mais, transferindo ele para um trabalho de cientista de dados em janeiro de 2016, mas as propostas de trabalho de empresas como Google e Tesla continuaram chegando até aceitar a proposta do Airbnb em fevereiro.

Titericz resolvia problemas no Kaggle no seu tempo livre, junto com outros 66 mil cientistas de dados, pela pontuação no ranking e também por prêmios em dinheiro, dos quais o brasileiro venceu US$ 100 mil.

Por meio do Kaggle, Titericz participou de grupos que usaram bases de dados disponibilizadas no site para prever coisas tão diferentes como o risco de ataques epiléticos para o National Institute of Health, o preço de tubos de metal para a Caterpillar e o valor dos aluguéis para a Deloitte.

Titericz é paranaense, formado na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, onde fez um curso técnico em eletrônica, um de engenharia elétrica e um master em telemática.

O profissional passou pela Siemens, Nokia e Ambev antes de entrar na Petrobras em 2008. 

De acordo com a Wired, os 95 líderes do ranking do Kaggle, os chamados grand masters, recebem com frequência ofertas de trabalho de empresas, que no momento passam por uma corrida atrás de profissionais para análise sofisticada de dados.

O Kaggle foi adquirido pelo Google em março para ser integrado na divisão de cloud do buscador.