Bridget van Kralingen, vice-presidente sênior da IBM. Foto: Divulgação.

A IBM firmou um acordo para adquirir a consultoria financeira Promontory. O plano é combinar os conhecimentos da companhia de finanças com o Watson, sistema de computação cognitiva, para aconselhar clientes sobre regulação financeira a partir de inteligência artificial.

Com isso, a IBM terá uma unidade chamada Watson Financial Services, que será parte da área de plataformas para indústria da companhia. A outra divisão já existente do sistema cognitivo é a Watson Health, que trabalha com o segmento de saúde.

O objetivo do sistema financeiro é ajudar os bancos a atender às expectativas das reguladoras em áreas como detecção de lavagem de dinheiro e bancos de dados de reclamações do consumidor.

"Profissionais não conseguem acompanhar esse nível de crescimento de informações críticas. O Watson vai aprender a estar sempre atualizado pela ingestão contínua de informações regulamentares quando elas são criadas", relata Bridget van Kralingen, vice-presidente sênior da IBM, segundo o Wall Street Journal.

A IBM trabalha com sistemas de tecnologia para instituições financeiras há décadas, mas essa aquisição representa uma nova incursão no trabalho de conformidade regulatória financeira.

Para Van Kralingen, o mundo da regulação financeira controlada por dados é cada vez mais  uma expansão lógica da tecnologia de computação cognitiva Watson. 

Com a determinação anti-lavagem de dinheiro, por exemplo, espera-se que os bancos rastreiem milhões de clientes e transações financeiras para relatar atividades suspeitas ao governo. Se as instituições não perceberem ações como o financiamento do terrorismo ou de evasão às sanções, elas podem enfrentar multas de milhões ou bilhões de dólares.

A partir do negócio com a Promontory, a IBM busca criar um sistema mais inteligente para a detecção de transações e clientes suspeitos.

A Promontory foi fundada em 2001 por Eugene Ludwig, que atuou na controladoria da moeda da secretaria do tesouro dos Estados Unidos. A equipe da empresa conta com diversos  ex-reguladores seniores e funcionários do governo. 

Bancos e agências governamentais contratam a empresa como uma consultora, mas também como uma espécie de reguladora terceirizada, que pode realizar trabalhos que governo não tem os recursos para fazer. Reguladores, por exemplo, pode contratar a Promontory para monitorar o cumprimento de uma empresa financeira com os termos de um acordo.

O negócio acontece um ano depois de um desentendimento entre a Promontory e reguladores de Nova York, que alegaram que a empresa aliviou relatórios sobre possíveis violações do banco britânico Standard Chartered. A Promontory admitiu que não atendeu a alguns padrões e concordou em pagar US$ 15 milhões para resolver a questão.

O Watson foi lançado pela IBM em 2014, a partir de um investimento de US$ 1 bilhão da companhia. A empresa investiu intensamente na área de saúde após lançar o sistema, aplicando mais de US$ 4 bilhões nas compras das companhias Phytel, Explorys e Merge Healthcare.