A PUCRS conta com mais de 30 mil alunos. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) adotou a solução PRTG Network Monitor, software de monitoramento de rede da fabricante alemã Paessler, com projeto da integradora Eleven, parceira gold da marca.

Em março do ano passado, a instituição de ensino começou a ter aulas totalmente on-line, e, mais tarde, adotou um contexto híbrido, com parte das atividades realizadas de forma remota e outra nas suas instalações físicas.

Segundo a PUCRS, a segunda configuração aumentou ainda mais a demanda por serviços de monitoração do ambiente digital da universidade.

No início, a equipe de infraestrutura trabalhou com outra plataforma de monitoração, que não teve o nome revelado. Ela exigia o desenvolvimento interno de sensores para medir o comportamento de componentes de rede, equipamentos e sistemas.

De acordo com a universidade, isso atrasava o cronograma, diminuindo a agilidade necessária para suportar os processos. 

A instituição realizou, então, provas de conceito com diversas plataformas de mercado e optou pelo PRTG por ele exigir menos desenvolvimento interno e por considerar os recursos de monitoramento da solução mais adequados às suas necessidades.

“A ferramenta da Paessler superou outros sistemas de monitoramento por ser mais completa, de fácil gerenciamento e custo acessível”, conta Catiuscia Boeira, analista de infraestrutura da PUCRS.

O uso da plataforma foi evoluindo, começando com o monitoramento básico e gradativamente alcançando todo o parque. Hoje, a solução centraliza as informações sobre todo o ambiente digital da instituição.

Ela monitora questões como volume de CO2, temperatura, umidade, ar-condicionado e fechamento de portas dos datacenters, além de catracas de entrada no campus e aplicações de ensino remoto.

No total, o PRTG monitora 7,5 mil sensores que atuam em diversas frentes, produzindo uma visão em tempo real do status de recursos. Um exemplo é o uso de espaço em disco, algo considerado vital para que o processamento no campus flua sem sobressaltos.

“O PRTG permite que a área de infraestrutura antecipe a necessidade do espaço de armazenamento segundo a média de consumo, o que facilita planejar novas aquisições”, conta Boeira.

Para isso, a plataforma conta com um mecanismo que aciona notificações quando parâmetros definidos pela área de infraestrutura são ultrapassados, enviando e-mail, SMS ou aviso no aplicativo do gestor ou, ainda, abrindo chamada automática no service desk, se necessário.

O sistema acompanha o histórico do consumo que os usuários fazem dos equipamentos e, com esses dados, prevê o crescimento do parque, com tempo para alocar investimentos e alterar serviços sem parada na operação.

A solução também prevê a necessidade de ampliação ou remanejamento de equipamentos e analisa o uso dos endereços IP. Este último tem uma função crítica, pois garante o funcionamento da rede que dá acesso a alunos, professores e funcionários.

“O principal objetivo é manter tudo rodando o maior tempo possível, evitando que alunos e professores enfrentem falhas e tenham de pedir suporte”, afirma Gelson do Amaral, coordenador de segurança e infraestrutura da PUCRS.

Além de dar suporte na implantação e uso do PRTG, a Eleven desenvolveu relatórios sobre a disponibilidade da rede, que permite aos gestores acompanharem a performance dos equipamentos por determinados períodos.

Para isso, são utilizados dashboards e ícones que representam os diversos sensores espalhados pelo campus, além de sensores para o monitoramento dos canais de voz do PABX IP — que mapeia o uso real de linhas telefônicas dentro do campus.

Segundo a PUCRS, a visualização da rede e dos sensores por meio de dashboards permite redirecionar equipamentos e recursos de uma área de baixo consumo para suprir outra. Além disso, a área de infraestrutura da instituição consegue monitorar todos os equipamentos sem ajuda de terceiros.

“A ferramenta permitiu uma melhor gestão de toda a infraestrutura, acompanhando a disponibilidade da rede para que nossos usuários acessem os recursos digitais que precisam de forma contínua e transparente”, avalia Amaral.

Com a nova solução, a universidade conta com disponibilidade da rede, dispositivos e aplicações próxima a 100%.

Com sede em Porto Alegre, a PUCRS conta com mais de 30 mil alunos e oferece mais de 50 cursos de graduação e pós-graduação, além de administrar o Hospital São Lucas, o Museu de Ciência e Tecnologia, o Tecnopuc e o Instituto do Cérebro.

Para suportar essa estrutura, o ambiente digital da universidade conta com 350 servidores e centenas de aplicações. Sua área de infraestrutura é responsável por mais de 900 pontos de acesso, 350 switches, 20 bancos de dados e dois datacenters.

A Paessler foi fundada em 1997 e está baseada em Nuremberg, na Alemanha. Sua solução tem mais de 300 mil usuários em mais de 170 países.

Criada em 2012, a Eleven começou com serviços de consultoria e suporte para provedores de internet regionais e, em 2014, iniciou a parceria com a Paessler. Além da marca, hoje a integradora também trabalha com as empresas Huawei, Cisco, Datacom e Juniper em todo o país.