Magnum Foletto, vice-presidente da InternetSul. Foto: Divulgação.

Santa Maria, município de 276 mil habitantes no centro do Rio Grande do Sul, passará a ter um pontos de troca de tráfego (PTT) facilitando a conexão dos usuários locais à Internet.

A novidade será lançada no IX Fórum – Encontro dos Sistemas Autônomos da Internet no Brasil - que ocorre na cidade nesta sexta-feira, 30.

Os PTTs funcionam como hubs em que provedores podem conectar seus servidores, facilitando o tráfego de informações. 

Até agora, os provedores de Santa Maria precisavam se conectar ao PTT de Porto Alegre, localizado a 290 quilômetros de distância.

Quanto maior a distância do PTT, maior a demora para acessar os sites e maior o custo para o cliente de Internet, pois o provedor precisa pagar pelo uso da rede de terceiros. 

Com a inauguração do PTT-SM, isso tudo muda: a conexão será muito mais rápida e o custo para o provedor local diminuirá, pois toda a troca de tráfego será feita localmente. 

No Brasil, o PTT.br é um projeto de PTTs locais gerido pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br (Nic.br) e pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), que facilita o fluxo de informações entre provedores de internet e conteúdo online no país. 

“A vinda do PTT foi resultado da mobilização da InternetSul junto ao Nic.br com atuação direta em mais de 30 provedores de internet em Santa Maria, demonstrando que havia demanda reprimida”, explica Magnum Foletto, vice-presidente da InternetSul. 

O PTT-SM ficará localizado na Ávato, que possui um data center com infraestrutura padrão de nível III, e a gerência será realizada pelo Nic.br. 

Caso haja demanda, podem entrar em funcionamento também estruturas na UFSM e na NET.

“Santa Maria especificamente é um ponto de concentração de rotas de muitas operadoras, tem um bom número de provedores de acesso à Internet e provedores de SCM operando na região”, explica Julio Sirota, Gerente de Infraestrutura do IX.br, área do Nic.br que administra os PTTs.

Com pico de tráfego total de mais de 3 Tbit/s, o Brasil tem PTTs em 27 localidades. 

O número inclui diversas capitais, mas também cidades de menor porte, principalmente no interior de São Paulo.