A Moccato estima faturar R$ 3 milhões nos próximos 12 meses. Foto: Zadorozhnyi Viktor/Shutterstock.

Com investimento inicial de R$ 1 milhão, foi lançada recentemente a Moccato. A startup é um clube de assinatura para café em capsula.

A Moccato estima faturar R$ 3 milhões nos próximos 12 meses e alcançar 20 mil assinantes até o final de 2016.

Segundo a empresa, o diferencial do café oferecido pelo site é o frescor, pois a Moccato garante o café da torra a xícara em sete dias. 

“O cliente assina e entra em uma das datas de corte, que será a mesma data nos meses seguintes. Durante algumas vezes por mês, o café é torrado, encapsulado e entregue ao cliente em até sete dia”, explica Fabrizio Serra, CEO e idealizador do projeto. 

A marca oferece cinco sabores de café. As cápsulas são compatíveis ao sistema Nespresso.

Os planos de assinatura contemplam 30, 60 ou 90 cápsulas por mês, sendo possível alterar os sabores em cada ciclo. A variação de preço dos planos vai de R$ 48 a R$ 125.

A marca também conta com opções para vendas corporativas, com 500, 1000 e acima de 1000 cápsulas. 

Além de Fabrizio Serra, a startup conta com outros quatro sócios. Ian Petersen, que atua como COO, é ex-diretor geral da cervejaria Allegra. Dimas Cyriaco, CTO, é programador e trabalhou por quatro anos no Nano Studio.

O CMO da Moccato é Diego Daminelli, ex-sócio da Hi-Midia/Afilio. No ano passado, ele atuou como gerente de Marketing da Zarpo Viagens. Emerson Freitas, especialista em cafés e barista, é responsável por encontrar produtores, montar os sabores e realizar o controle da qualidade da Moccato.

Antes do lançamento oficial da marca, a Moccato criou uma campanha de pré-lançamento no site de financiamento coletivo Kickante, em que arrecadou R$ 20 mil a partir de 387 apoiadores.

Os contribuintes vão receber cápsulas de café da empresa como recompensa a partir de julho.