TecCloud tem três data centers no Rio Grande do Sul. Foto: flickr.com/photos/shiver_silver/

A Stefanini acaba de comprar 60% da TecCloud, empresa de data center do grupo Corrêa da Silva dona de três centros de dados no Rio Grande do Sul.

O grupo Correa da Silva, propriedade do empresário Ernesto Corrêa, possui outras empresas como a Saque e Pague, Banco Topázio e a Rede de Hotéis Intercity.

Corrêa foi o investidor por trás da GetNet, adquirente de pagamentos vendida ao Santander em 2014 por R$ 1,1 bilhão.

Ao todo, a TecCloud tem três data centers, localizados em Porto Alegre e Campo Bom, cidade na região metropolitana da capital gaúcha onde foi fundada a GetNet. Um dos centros é Tier 3, uma distinção de poucas estruturas do gênero no país, a maioria grandes players.

A empresa também atua com telecom e serviços de tecnologia, telecom e serviços de tecnologia. 

Existe muito pouca informação disponível sobre a TecCloud. A empresa é o negócio mais discreto de um grupo conhecido pela discrição. O site, por exemplo, não traz quase nenhuma informação sobre a empresa.

Parece seguro assumir que o principal cliente da TecCloud são outras empresas do próprio grupo Correa da Silva.

De acordo com Rogério Vinícius, diretor de TI da Stefanini, o objetivo da multinacional brasileira com a TecCloud é oferecer e entregar soluções que possam ser facilmente escaláveis com outras aplicações de seus clientes. 

“Nosso objetivo é entregar propostas com maior valor agregado e manter a infraestrutura como serviço, soluções de gerenciamento e integração com outras nuvens”, afirma o executivo.

Esse não é o primeiro negócio entre o grupo Correa da Silva e a Stefanini. 

Em agosto de 2015, a Stefanini comprou 40% da Saque e Pague, rede de caixas multisserviços e tecnologia para o mercado financeiro sediada em Porto Alegre.

A Saque e Pague já tem mais informação pública: o faturamento em 2018 foi de R$ 91 milhões, um crescimento de quase 35% comparado ao período anterior. Para 2019 a previsão é crescer acima de 60% e investir R$ 50 milhões em segurança, tecnologia e em outras áreas. 

A Stefanini fechou 2018 com um faturamento de R$ 3 bilhões, uma alta de 7% frente aos resultados do ano passado.