Usain Bolt é a estrela da campanha do Banco Original. Foto: Divulgação.

A holding J&F Investimentos, que controla empresas como a JBS, lançou o Banco Original, instituição que se intitula o primeiro banco de varejo 100% digital do Brasil. O projeto foi idealizado por Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central.

A empresa não tem agência física e nasce a partir de um aplicativo disponível para Android e iOS que permite a criação da conta bancária. 

O portfólio da instituição inclui, além de todos os serviços de um banco comum, transações por comando de voz, depósitos de cheque por imagem e uma ferramenta de gestão financeira que categoriza os gastos.

Os saques de dinheiro podem ser realizados pelos clientes em caixas eletrônicos da rede 24 Horas.

Para criar uma conta no Banco Original é preciso ter renda mensal a partir de R$ 4 mil, pois a empresa trabalha com cartões de crédito das bandeiras MasterCard Platinum e Black.

O projeto do banco começou em meados de 2013, com investimentos que chegaram a R$ 600 milhões na construção da plataforma digital. 

Segundo o Estadão, o banco tem a meta de alcançar 100 mil clientes no primeiro ano de atuação. Em dez anos, a empresa espera alcançar dois milhões de usuários.

“Procuramos em todo o mundo modelos que pudessem servir como base, mas, para atender à legislação brasileira, tivemos de desenvolver a nossa própria plataforma”, relatou Meirelles ao Estadão.

O Banco Central faz uma série de exigências em relação ao cadastro de clientes de bancos por questões de segurança. Assim, ao fazer o cadastro no Original, o cliente precisa diversas fotos para reconhecimento, além da documentação e de uma assinatura que pode ser feita digitalmente. 

O Banco Original tem patrimônio líquido de R$ 2,2 bilhões e R$ 6,6 bilhões em ativos.

De acordo com a tabela de tarifas do Original, o banco irá cobrar R$ 29 para a confecção do cadastro do cliente. Depois, uma taxa de R$ 50 é cobrada a cada seis meses para a renovação do contrato.

Mensalmente o Banco Original cobra R$ 5 pela manutenção da conta ativa. Caso ela fique inutilizada por mais de seis meses, ou com saldo inferior a R$ 1 mil, o banco passa a cobrar R$ 25 mensais.

Transferências TED ou DOC para qualquer outra conta custam R$ 6,90. Para utilizar a conta Original para receber pagamentos do exterior é necessário pagar R$ 210 por transação.

A anuidade do cartão de crédito MasterCard pode variar de R$ 200 a R$ 750, dependendo do tipo de cartão escolhido. O valor pode ser parcelado na fatura.

Para divulgar a marca, a empresa está investindo fortemente em marketing. Um dos exemplos é uma propaganda do banco que está sendo veiculada na televisão e tem Usain Bolt como garoto-propaganda.

O Banco Original é o mais recente exemplo de fintech, empresas jovens de tecnologia focadas em serviços financeiros - nascida no Brasil. A companhia do segmento mais bem sucedida no país até agora parece ser o Nubank, serviço de cartão de crédito que funciona apenas com o app.

A nova empresa segue a mesma premissa, mas adiciona ainda todos os recursos ligados a uma conta bancária, enquanto o Nubank fica restrito às operações de compra com o cartão e o gerenciamento dos gastos.

Em janeiro, o Nubank anunciou que recebeu um aporte de US$ 50 milhões para expandir seus negócios no Brasil.

Criado em setembro de 2014 pelo empreendedor David Vélez, o Nubank já recebeu outros três investimentos: um aporte inicial para começar o negócio, em julho de 2013; um outro investimento logo no lançamento da startup; e um aporte de R$ 90 milhões em 2015.

Segundo a empresa de pesquisa Venture Scanner, em 2014 as fintechs captaram US$ 29 bilhões com fundos de investimentos globalmente. 

De acordo com uma pesquisa da PwC, a indústria global de serviços financeiros sente a ameaça das novas empresas. Os executivos de instituições financeiras temem perder cerca de 25% de seus negócios para as startups financeiras até 2020.