Bradesco era o dono e o maior cliente da Scopus.

A IBM Brasil comprou a estrutura operacional da área de suporte e manutenção de hardware e software da Scopus, empresa controlada pelo Bradesco e que tem entre seus maiores clientes o próprio banco, o segundo maior do Brasil.

Não foram informados detalhes financeiros. Pelo acordo, a IBM assume todos os contratos de suporte e manutenção, cujo número total não foi revelado.

Segundo revelado a Reuters pelo vice-presidente do Bradesco e presidente da Scopus, Maurício Minas, a IBM está comprando uma operação com 2,4 mil funcionários, 100 clientes, incluindo redes de varejo e operadoras de telecomunicações e um faturamento de R$ 400 milhões.

A área de consultoria em inovação e soluções em TI da Scopus permanecem independentes e propriedade do Bradesco. Elas representam um faturamento de R$ 200 milhões, com 700 funcionários especialistas em segurança e desenvolvimento de aplicações para mobilidade e Internet.

A estratégia do Bradesco é semelhante à adotada pela holding Itaúsa, do Itaú Unibanco, com sua empresa de tecnologia Itautec.

Em janeiro, a Itautec anunciou uma formalização de parceria estratégica com a japonesa Oki Electric Industry acertada em maio em maio passado, quando a empresa vendeu 70% de suas participações nas atividades de automação bancária e comercial e de prestação de serviços para a Oki, por cerca de R$ 100 milhões.