Marcelo Porto. Foto: divulgação.

A IBM Brasil anunciou nesta quinta-feira, 29, que Marcelo Porto será o novo presidente da companhia no país, assumindo a cadeira ocupada por Rodrigo Kede desde julho de 2012.

Contando com mais de 28 anos de experiência na multinacional, na qual iniciou como analista de sistemas, Porto atuava desde fevereiro de 2013 como vice-presidente de vendas da Big Blue no Brasil. 

A chegada de Porto à presidência nacional da companhia coincide com um período de transformação na multinacional. Entre suas missões estão estimular o crescimento e consolidar a estratégia da empresa no país com foco em Cloud, Analytics, Mobilidade, Social e Segurança.

Outro foco é o de ampliar as vendas da IBM em todas as regiões brasileiras para novos compradores de tecnologia, como executivos de marketing, recursos humanos, finanças e compras. 

“A IBM Brasil está em um momento muito especial, com novos desafios, metas, oportunidades. Nossos clientes vem confiando em nossa companhia ao longo desses 98 anos no Brasil e continuaremos provendo o valor que precisam para crescerem e contribuírem para o desenvolvimento de nosso país”, comenta Porto.

Mesmo assim, o início não deve ser fácil. A IBM está se preparando para um pacotão de demissões em escala global nas próximas semanas - fontes afirmam que o número deve chegar perto de 100 mil cortes. Até o momento, a IBM Brasil não se pronunciou sobre o assunto.

Graduado em Análise de Sistemas pela PUC do Rio de Janeiro, Porto teve convivência direta com a CEO global da IBM, Ginny Rometti em 2012, quando passou um ano na sede da IBM, em Armonk, New York, apoiando no desenvolvimento de projetos com clientes de todo o mundo. 

No Brasil, liderou as divisões de Software, Marketing, Serviços para Pequenas e Médias empresas na organização da América Latina, entre outras posições chave.

Ao deixar o cargo de presidente da IBM no Brasil, Rodrigo Kede agora será responsável pela vice-presidência mundial de estratégia e transformação da multinacional.

Sob o comando de Kede, a IBM criou no país o Centro de Competência do Watson, que está trabalhando para ensinar português brasileiro para o sistema de supercomputação cognitiva. Além disso, neste período a companhia comprou a área de suporte e manutenção da Scopus, empresa TI fundada pelo Bradesco.