Prefeitura de Curitiba tem dez veículos elétricos. Foto: Luiz Costa.

Os dez veículos elétricos que integram a frota da Prefeitura de Curitiba desde junho geraram uma economia de 83% no gasto com combustíveis, em relação ao que seria gasto se os mesmos automóveis fossem movidos a gasolina.

Em dois meses, a economia com combustível somou R$ 4,6 mil e foram gastos R$ 791 com a energia elétrica necessária para que os carros percorressem mais de 15,8 mil quilômetros. 

Se o projeto fosse ampliado para 10% da frota da prefeitura, a economia, considerando o mesmo período de operação, poderia chegar a R$ 182,4 mil. 

O uso desses carros poupou a emissão de duas toneladas de CO2 na atmosfera de Curitiba e economizou 1,5 mil litros de gasolina, o que equivale a dez barris de petróleo.

A frota municipal de veículos elétricos existe a partir de um contrato de comodato firmado por dois anos entre os parceiros do projeto Aliança Renault-Nissan, Itaipu Binacional e Ceiia.

Os dez veículos em operação (cinco do modelo Zoe, três do Kangoo e dois do Twizy) são utilizados pela Guarda Municipal, Secretaria de Trânsito, pelo Instituto Curitiba de Turismo e pelo gabinete do prefeito.

Os carros utilizados pela Guarda Municipal chegaram a percorrer em um só dia 140 quilômetros. 

Os dois veículos Twizy, utilizados para monitorar os parques Barigui e Tanguá, chamam a atenção por onde passam. 

“São os campeões de selfies dos frequentadores e turistas dos parques”, conta Frederico Carvalho, diretor da Guarda Municipal.

Na Guarda, os veículos servem na ronda e patrulhamento de parques e, ainda, como módulo móvel circulando pelas praças. 

Na Setran são utilizados no programa de escola pública do trânsito e como suporte às atividades de fiscalização de seus agentes e em seu departamento de mobilidade. 

Já no Instituto Curitiba de Turismo, os veículos são usados em postos móveis de informações turísticas.

Os 60 usuários dos veículos elétricos na prefeitura receberam curso de capacitação para a operação dos veículos e dos eletropostos.