Marco Stefanini. Foto: divulgação

A Stefanini é a terceira empresa mais internacionalizada do Brasil, atrás apenas de JBS e Gerdau, aponta um levantamento da Fundação Dom Cabral divulgado nesta quarta-feira, 28.

O índice de internacionalização da empresa brasileira de TI é de 49,6%. A JBS fica com 58,9% e a Gerdau com 54,2 %.

O frigorífico lidera o levantamento há quatro anos. A Stefanini ficou na mesma posição do ano passado e uma abaixo da do ranking de 2011.

São avaliados quatro itens: o número de países onde as empresas possuem subsidiárias, a relação da receita bruta no exterior sobre o total; o valor dos ativos no exterior sobre o total; e o número de funcionários no exterior sobre o total.

A Stefanini foi apontada também como a 2ª empresa com o maior percentual de ativos fora do País (67,6%). Em relação as empresas que possuem subsidiárias em maior número de países, a Vale é a q ue mais possui subsidiárias, seguida pela Odebrecht e Stefanini.

“É muito interessante observar que a maioria das multinacionais apresentou crescimento no índice em relação ao ano anterior, como também foi o nosso caso. Isso mostra que as empresas brasileiras têm conquistado cada vez mais espaço e superado grandes desafios”, afirma Marco Stefanini, CEO Global da Stefanini.

A Stefanini passou a figurar no topo do ranking em 2011, quando saltou da 17ª para a 2ª colocação em uma listagem de 46 empresas.

A Stefanini afirma ter sido a primeira empresa brasileira de TI a abrir uma filial no exterior, com a inauguração da operação argentina em 1996.

Desde então, abriu filiais no Chile e no México, em 2000; no Peru, na Colômbia e nos Estados Unidos em 2001; na Espanha, Portugal e Itália, em 2003; no Reino Unido e na Índia, em 2006, e no Canadá em 2008.

Em 2010, a consultoria deu um salto no seu processo de internacionalização com a aquisição de duas empresas nos Estados Unidos (Tech Team e CXI) e uma na Colômbia (Informática & Tecnologia), passando a atuar em 27 países, contra os 19 anteriores.

Nos últimos anos, a empresa incrementou ainda mais sua presença abrindo centros de desenvolimento em países como China e Filipinas.

Completam o ranking das dez mais internacionais da Dom Cabral a Magnesita (45,7%), Marfrig (43,3%), Metalfrio (42,7%), Ibope (36,4%), Odebrecht (34,9%), Sabó (33,3%) e Minerva (32%).

A FDC divulgou também o Ranking de Internacionalização de Franquias Brasileiras, focado nas particularidades do processo de internacionalização por meio do sistema de franchising.

A Showcolate lidera a edição, com índice de 8,7%, seguida de LinkWell (8,4%) e Localiza (7,6%). Hering e Arezzo também aparecem na lista, em 8º e 9º lugar, respectivamente.