Portas fechadas na fábrica da Lexmark. Foto: flickr.com/photos/chodhound

A Lexmark, fabricante americana de equipamentos de impressão, anunciou que fechará completamente sua fábrica de suprimentos para impressoras a jato de tinta nas Filipinas até 2015. A empresa também cortará 1.700 empregos em suas unidades no mundo.

A decisão faz parte de um programa de reestruturação financeira, conforme informações do Valor. Com isso, a empresa pretende economizar US$ 95 milhões.

Os serviços de suporte e suprimento pós-venda para sua base de jato de tinta continuarão ativos. Em nota, a empresa diz que também pretende vender a tecnologia de desenvolvimento dos produtos da unidade.

O custo do programa de reestruturação é estimado em US$ 160 milhões pelos próximos três anos.

Com as mudanças, em 2013, o valor poupado deve chegar a US$ 85 milhões, que aumentarão para US$ 95 milhões no começo de 2015, segundo a Lexmark.

Do total de corte de vagas, 1.100 serão em fábricas. Outros postos de trabalho serão fechados nas áreas de pesquisa e desenvolvimento, fornecimento e outras funções de suporte.

A empresa pretende eliminar também os custos relacionados a instalações, ferramentas, equipamentos, rescisão de contrato e redução no estoque na divisão de jato de tinta até o final de 2013.