O Porto Maravilha é uma iniciativa para resgatar a região portuária do Rio. Foto: Divulgação.

Em andamento no Rio de Janeiro, o empreedimento Porto Maravilha pretende reurbanizar uma área de cinco milhões de m² na Região Portuária da cidade. Em construção na área, o Hotel Praia Formosa foi modelado em 3D e beneficiou-se da solução colaborativa Tekla BIMsight para compatibilizar todos os sistemas com  economia de tempo de até 30%.

Quando concluído, o hotel terá 33 pavimentos projetados em estrutura metálica, 594 quartos e área construída total de 35.585,63 m²

Na coordenação e como o consultor BIM do projeto, o escritório de engenharia IN Prediais definiu o Tekla BIMsight como a ferramenta para permitir o processo colaborativo entre as empresas envolvidas. 

Todo o fluxo de trabalho da construção foi combinado e analisado junto com os modelos 3D no ambiente BIM para verificar a existência de conflitos, o que permitu identificar interferências e resolver problemas já na fase de projeto antes da construção.

"A arquitetura, a estrutura metálica e a construção dos serviços prediais do hotel foram modelados em 3D para obter a compreensão comum de todos os envolvidos no projeto e apoiar a tomada rápida e acertada de decisões", explica Humberto Farina, engenheiro civil e diretor da IN Prediais.

Depois de modelados os sistemas, a IN Prediais obteve uma redução de 30% no tempo total de compatibilização com o uso do Tekla BIMsight na comparação com um processo convencional de leitura de projetos. 

"Usamos o Tekla BIMsight para verificar conflitos entre todos os modelos e minimizar tarefas inesperadas de construção; garantir o desempenho do sistema; comunicar novas necessidades, tais como especificações das estruturas metálicas, por meio de anotações e marcações, e destacar as partes críticas com as visualizações salvas", explica.

A obra do Hotel Praia Formosa começou em janeiro de 2014. A previsão de entrega é março de 2016.

A Tekla se tornou parte do grupo Trimble, que atua nos segmentos de construção, agricultura, transportes, telecomunicações, controle de ativos, entre outros, em julho de 2011.

 A receita do grupo no ano fiscal de 2013 ficou em US$ 2,3 bilhões, um aumento de 12% em relação ao ano anterior. 

O Porto Maravilha é uma iniciativa para resgatar a região portuária do Rio. O projeto é uma operação de R$ 8 bilhões em 15 anos.

A ideia do Porto Maravilha é recuper a infraestrutura urbana, o transporte, o meio ambiente, os patrimônios histórico e cultural, além de melhorar as condições habitacionais da região, que encontrava-se em estado de grande degradação.