Simulação do funcionamento do Lulu. Foto: .flickr.com/photos/8363028@N08/

Tamanho da fonte: -A+A

Até que demorou. Nesta terça-feira, 26, apenas quatro dias após a estreia do polêmico app Lulu no Brasil, entraram no ar dois Tumblrs que prometem boas avaliações em trocas de pagamentos módicos.

O tumblr Melhore Seu Lulu oferece uma foto mais tórrida e planos mais caros. Por R$ 100, é possível comprar apenas cinco hashtags positivas, dentro do plano “Manda Bem”. 

O plano “É para Casar” acrescenta um “Já Peguei” ao perfil do usuário, além de 30 hashtags positivas e sai por R$ 500. O site avisa que em caso de falta de pagamento, serão adicionadas nada menos que 90 hashtags negativas.

Refletindo o efeito da competição crescente em mercados sem barreira de entrada, o Get Higher Lulu Score já jogou os preços lá embaixo.

É possível combrar 10 hashtags positivas de usuárias com relação Friend ou Crush por R$ 5. As mesmas avaliações por “Ex Girlfriend” ou “Hooked Up” saem por R$ 10. Um plano personalizado custa R$ 15.

Os pagamentos em ambos podem ser feitos por PayPal, PagSeguro ou boleto bancário.

Independente da precificação, o modelo de negócios não parece lá essas coisas.

Como as avaliações do Lulu são anônimas, o homem interessado em dar um boost na imagem pode recorrer à amigas ou, num twist que agradaria a Woody Allen, à sua mãe. Também existe o recurso de criar um perfil fake no Facebook.

"Muitos meninos têm vergonha de pedir esse 'favorzinho' para garotas que conhecem pessoalmente", defende uma das três meninas que criaram o Higher Lulu. Amigos meus tentaram criar fakes femininos para entrar no aplicativo, porém este é capaz de detectar perfis fakes e bloqueia o login do usuário falso", garante a empreendedora, que afirma já ter vendido "alguns planos".

Para quem não conhece a última mania da Internet, o Lulu é um app que permite às mulheres darem notas e fazerem comentários sobre seus amigos no Facebook com os quais tiveram relacionamentos de maneira anônima e só visível para outras mulheres.

Lançado em fevereiro nos Estados Unidos, o Lulu estreou semana passada nas lojas de aplicativos da Apple e do Google no Brasil e é o assunto da Interntet desde então.

O aplicativo despertou polêmica sobre sua política de privacidade, uma vez que o software lista todos os homens das listas de amigos das usuárias sem autorização deles. Para sair, é preciso acessar o Lulu e fazer um opt out.

Entre as qualidades, as moças podem assinalar algumas hashtags como #lavaroupa, #bebesemcair, #semmedodeserfofo, #feioarrumadinho, #lindotesãobonitoegostosão, #deixaasinimigascominveja.

O app parece ser um sucesso. Dados divulgados pelo Lulu nesta quarta-feira, 27, falam em 1 milhão de avaliações feitas, além de 100 milhões de visualizações de perfis e uma média de nove acessos diários ao app.