Monsanto contratou service desk, help desk e suporte de data center da Asyst. Foto: divulgação.

A Monsanto, gigante americana de biotecnologia que tem 36 unidades no Brasil, incluindo uma em Não Me Toque, no interior do Rio Grande do Sul, reduziu de 1,2 mil por mês para menos de 500 mensais os chamados de suporte para sua TI.

O responsável pelo resultado é um contrato de service desk, help hesk, field services, monitoramento de data center e telecom da Asyst International + Rhealeza, que desde janeiro deste ano atende à multi de agribusiness que obteve receita total de US$ 4,25 bilhões no ano fiscal encerrado em maio passado, alta leve de 0,7% ano/ano.

“Com a Asyst, o backlog foi reduzido para menos de 500 chamados em três meses e a satisfação dos 3,2 mil usuários atendidos atingiu 95%”, comemora o gerente de TI da Monsanto, Edson Alves.

Atualmente, a Monsanto conta com uma equipe de 40 pessoas envolvidas na oferta, 15 alocadas na Asyst e 25 em diversas unidades de negócio da empresa.

Suporte necessário para uma operação que, só no Brasil, tem 19 unidades de pesquisa, oito de processamento de sementes, duas de produção de herbicidas, três de vendas, uma de distribuição e três escritórios administrativos.

No país, a companhia produz herbicidas e sementes de milho, soja, algodão e hortaliças, além de variedades de cana-de-açúcar.

No mundo, onde a sede fica em Missouri, nos Estados Unidos, e há unidades em todos os continentes.

O cliente reforça os negócios da Asyst, que tem sede em São Paulo e filiais na Argentina, Chile, Inglaterra e presença, remota e presencial, em mais de 100 países.

A companhia foi formada em 2011, a partir da fusão da Asyst com a Rhealeza Informática, gerando um conglomerado de service desk com faturamento na casa dos R$ 125 milhões.

Atendida por 2,5 mil colaboradores, a carteira da Asyst passa dos 170 clientes em todo o mundo, incluindo nomes como Andrade Gutierrez,  Camargo Corrêa, Johnson & Johnson, Kimberly Clark, KPMG e outras.