Lojas estão vazias. Foto: zhu difeng / Shutterstock

C&A, Marisa e Lojas Riachuelo começaram a demitir funcionários em São Paulo, totalizando cerca de 800 pessoas.

Segundo revela o Estado de São Paulo, a líder em demissões é a Marisa, que, no período de janeiro até o dia 20 de maio, demitiu 391 pessoas na capital paulista, uma alta de 83,5% frente ao mesmo período do ano anterior.

A C&A cortou 264 pessoas e a Lojas Riachuelo 231, aumentos de 60% e 40%.

Nenhuma das redes confirmou os números. Os dados foram obtidos pelo Estadão a partir das homologações de demissões registradas pelo Sindicato do Comerciários de São Paulo.

O processo é realizado apenas para empregados com mais de um ano de casa, motivo pelo qual a cifra total de demissões pode ser maior.

Procuradas, pela reportagem do Estadão, as empresas alegaram que as demissões eram uma adequação ao momento econômico. O volume de vendas de vestuário acumula queda de 3% no 1º trimestre.

O presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, Ricardo Patah, não tem dúvida de que 2015 será o pior ano do emprego para o comércio da última década. 

De janeiro até o dia 20 de maio, foram homologadas 45.577 demissões no comércio na capital paulista. No ano todo de 2014 foram 121,8 mil rescisões.