O app tem mais de 60 mil usuários, entre caminheiros e transportadoras. Foto: Krivosheev Vitaly/Shutterstock.com

O Sontra Cargo, aplicativo que conecta fretes e caminhoneiros autônomos no Brasil anunciou hoje investimento Série A de R$ 5 milhões, liderado pelo fundo de investimento americano Valor Capital Group.  

Hoje o app tem mais de 60 mil usuários cadastrados, entre caminheiros e transportadoras.

Com o investimento, a empresa espera expandir sua base de caminhoneiros e transportadores. O capital também será aplicado em aprimoramento tecnológico e capital humano.

No mercado há quase um ano, a Sontra Cargo alcançou a marca dos R$ 100 milhões em valor de fretes ofertados. O resultado foi gerado a partir das mais de 11 mil transportadoras cadastradas, que solicitam cerca de 70 mil fretes por mês.

"A operação emprega 14 profissionais em diferentes áreas, de estagiários a matemáticos, passando por experts em marketing e finanças. Além da tecnologia, apostamos na combinação de pessoas de primeiro nível e na análise aprofundada da informação como diferenciais”, comenta Federico Vega, CEO da Sontra Cargo.

Desde sua estreia, o aplicativo Sontra Cargo recebeu upgrades, como a possibilidade de usar o aplicativo como sistema de rastreamento e informação do gasto de pedágio e combustível. 

“Por meio de site e aplicativo, além do caminhoneiro ter uma oferta maior de fretes, ele tem as informações necessárias para avaliar sua rentabilidade”, explica Vega.

Com o aporte do novo capital, a meta da empresa é atingir 200 mil caminhoneiros e mais de 40 mil transportadoras até dezembro de 2015.

Para a empresa, a produtividade que o app gera para empresas e motoristas é o ponto mais importante do negócio.

“Sem o app, o mercado é informal e desorganizado. As empresas contatam um agenciador de carga, que faz a divulgação dos trabalhos disponíveis colando papéis em vidros nos terminais de carga”, relata Bruno Moreira, diretor da Sontra Cargo.

No aplicativo, as cargas disponíveis estão organizadas por cidade, na rota ou mais próximas. É possível saber sobre o tipo de carga, a carroceria, se há necessidade de rastreador para aquela operação, entre outros detalhes.

“O caminhoneiro pode verificar os trabalhos disponíveis antes mesmo de chegar ao destino, e a família também colabora com essa busca no computador de casa”, revela Moreira.