Banrisul enviou nota sobre a relação com a Faurgs. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Banrisul enviou uma nota ao Baguete afirmando que a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs) segue sendo fornecedora de desenvolvimento de software do banco estatal do Rio Grande do Sul.

“A Faurgs é fornecedora do banco há mais de 20 anos, via processo licitatório, com serviço aferido por pelo menos cinco diferentes gestões da instituição”, afirma a nota do banco, disponível na íntegra abaixo.

O Banrisul prossegue afirmando que a Faurgs fornece serviços de serviços de arquitetura, programação de software de produtos e aplicativos, bem como desenvolvimento de novas tecnologias.

“Nossas áreas técnicas atestam que os mesmos foram entregues com qualidade e segurança, ao lado dos demais fornecedores em TI contratados pelo banco ─ prova é a maturidade tecnológica do Banrisul reconhecida pelo mercado”, afirma a nota.

O Banrisul enviou a nota ao Baguete devido a menções ao banco feitas em matérias do site sobre a novela das prévias do PSDB, nas quais a Faurgs desempenha um dos papéis mais importantes.

Isso porque a Faurgs desenvolveu o aplicativo de votação à distância nas prévias, que não funcionou, levando a insinuações do governador de São Paulo, João Doria, de que isso tem algo que ver com o fato da Faurgs ser sediada no Rio Grande do Sul, estado do seu rival na disputa, o governador Eduardo Leite.

Doria inclusive disse que a Faurgs era sediada em Pelotas, cidade na qual Leite começou sua carreira política, o que não procede. A Faurgs é sediada em Porto Alegre.

Nesse contexto, duas matérias do Baguete incluíram menções à atuação da Faurgs no Rio Grande do Sul, e no Banrisul em particular.

A primeira: “Leitores do Baguete com boa memória vão lembrar da Faurgs. Durante o governo da também tucana Yeda Crusius, já há uma década atrás, a fundação disputou e ganhou contratos de desenvolvimento de software no Banrisul, banco estatal gaúcho, causando muitas polêmicas”.

E a segunda: “Além de questões geográficas, a Faurgs parece ter uma boa relação com o PSDB gaúcho. Durante o governo da também tucana Yeda Crusius, já há uma década atrás, a fundação disputou e ganhou contratos de desenvolvimento de software no Banrisul, banco estatal gaúcho, causando muitas polêmicas”.

A reportagem está fazendo menção a episódios do ano de 2010, quando o então vice-governador Paulo Feijó, fez denúncias sobre irregularidades envolvendo contratos de TI do banco estatal gaúcho com a Faurgs.

Feijó, que teve uma passagem algo errática pela política, criou grandes constrangimentos para a então governadora tucana Yeda Crusius.

Na época, a consequência foi a suspensão de contratos e a assinatura de um termo de ajuste de conduta por parte do Banrisul com o Ministério Público.

A reportagem do Baguete errou. Como o Banrisul afirma em nota, a Faurgs foi contratada pelo banco anos anteriores a esse incidente, e segue admitida até hoje.

Assim, não é possível falar numa relação especial do PSDB gaúcho com a fundação, uma vez que no período apontado pelo banco o estado foi governado pelo PT (duas vezes), PMDB (duas vezes) e o próprio PSDB, também por duas vezes, sendo a segunda delas agora, com Leite.

O Baguete alterou os dois parágrafos em questão nas matérias refletindo isso, sinalizando também nas publicações que elas foram alteradas. O novo texto diz:

“A Faurgs é conhecida no setor de tecnologia do Rio Grande do Sul pela sua atuação como fornecedora de desenvolvimento de software do banco estadual Banrisul ao longo dos últimos 20 anos.

Em uma ocasião, por coincidência também durante uma administração tucana, a fundação se viu envolvida numa polêmica quando o vice-governador, Paulo Feijó, fez denúncias sobre irregularidades envolvendo contratos de TI do banco estatal gaúcho com a Faurgs.

A consequência foi a suspensão de contratos e a assinatura de um termo de ajuste de conduta por parte do Banrisul com o Ministério Público”.

ÍNTEGRA DA NOTA DO BANRISUL

O Banrisul informa que a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), com sede em Porto Alegre, é fornecedora do banco há mais de 20 anos, via processo licitatório, com serviço aferido por pelo menos cinco diferentes gestões da instituição. 

Ao longo desse período, a referida fundação forneceu serviços de arquitetura, programação de software de produtos e aplicativos, bem como desenvolvimento de novas tecnologias.

Nossas áreas técnicas atestam que os mesmos foram entregues com qualidade e segurança, ao lado dos demais fornecedores em TI contratados pelo banco ─ prova é a maturidade tecnológica do Banrisul reconhecida pelo mercado.

Como sociedade anônima de capital aberto, o banco tem uma gestão profissional e independente. O Banrisul segue inteiramente à disposição de seus clientes e acionistas para quaisquer esclarecimentos, com total transparência e profissionalismo.