Mike Brown, o ex-interino.

Mike Brown, que desde março desempenhava a função de CEO interino da Symantec, foi nomeado pela empresa de maneira permanente para a posição nesta sexta-feira, 26.

Segundo a gigante de segurança revelou em nota, a empresa de head hunting Russell Reynolds, encontrou 100 candidatos qualificados nos últimos seis meses, dos quais 30 foram examinados “ativamente”.

Depois de tudo, no entanto, a multinacional adotou a linha de alguns clubes de futebol e decidiu manter o interino que estava apresentando bons resultados. 

Sem abrir valores (as cifras não são tão empolgantes assim) a Symantec afirmou que a gestão de Brown retornou ao crescimento de receita e constantemente excedeu a sua orientação de receita e margem operacional. 

No seu último trimestre fiscal, encerrado em julho, a empresa deu mostras de uma tíbia recuperação, com uma alta de 1% no faturamento, para US$ 1,735 bilhão, US$ 35 milhões acima do esperado pelos analistas. 

O resultado, no entanto, recebeu uma forcinha pelo fato do trimestre fiscal ter tido uma semana a mais. Para o próximo trimestre, enquanto busca um novo CEO, a empresa espera ficar estável ou cair 2,2% em faturamento, ficando na faixa dos US$ 1,64 bilhão.

A Symantec tem caído de faturamento ou ficado na mesma pelos últimos quatro trimestres. Na nota, Brown diz que espera “aumentar ainda mais o crescimento da receita no segundo semestre do ano fiscal de 2015”. 

Um planejamento estratégico novo deve ser revelado em 30 dias.

Agora é ver se o novo CEO segura o rojão. O último presidente, Steve Bennet, não chegou a completar um ano no cargo. Ele substituiu Enrique Salem, veterano que trabalhou na empresa por 19 anos. 

A Symantec atravessa um momento complicado, no qual enfrenta a concorrência de novatas como Palo Alto Networks e a FireEye enquanto tenta se adaptar a um novo cenário de computação, na qual mobilidade é uma tendência crescente.