EMC compra empresa de cloud. Foto: divulgação.

A EMC anunciou nesta terça-feira a aquisição da Virtustream, empresa especializada em aplicações de gerenciamento de nuvem, em mais uma manobra para aumentar a sua presença no segmento de cloud.

Com a aquisição, que custará US$ 1,2 bilhão em dinheiro para a multinacional, a fabricante de equipamentos de storage pretende reforçar a sua recém criada divisão de serviços gerenciados de nuvem.

Esta é a quarta aquisição da EMC no segmento de cloud em menos de um ano. Em outubro do ano passado, a companhia anunciou a compra das startups Cloudscaling, Maginatics e Spanning Cloud Apps.

Entretanto, a Virtustream representa o maior cheque que a companhia assina até o momento e o portfólio mais representativo, tanto em produtos quanto em clientes.

Fundada em 2008 e com mais de US$ 120 milhões em aportes, a Virtustream conta atualmente com clientes de porte como Coca-Cola, Lexmark, Heinz e Kawasaki. São operações grandes que adotaram soluções da companhia para mover aplicações e ambientes (como SAP) para a nuvem.

A gigante do segmento de storage afirmou em nota que a compra representa um "elemento de transformação" na estratégia de nuvem híbrida da companhia, contando inclusive com integração o VMWare VSphere, tecnologia detida pela EMC.

"Com a Virtustream, a EMC está posicionada como uma fonte única para a infraestrutura de nuvem híbrida para nossos clientes. É um game changer", afirmou o CEO da EMC Joe Tucci.

De acordo com os termos do negócio, a Virtustream seguirá como uma divisão separada da marca EMC, assim como são as marcas VMWare e Pivotal, controladas pela multinacional, mas que operam de forma independente em seus segmentos.

Para analistas, a aquisição realizada pode ser um fator de peso para colocar a EMC entre as principais marcas de cloud híbrida, um terreno onde diversas companhias (Dell, IBM, Microsoft, HP, entre outras) ainda buscam afirmação e enfrentam diversas startups inovadoras no processo.

"Existe uma dinâmica interessante em movimento. Em um lado estão fabricantes maiores e estabelecidos que lutam para se mudar para a nuvem com seus clientes, enquanto enfrentam a inovação de companhias menores na parte de baixo do mercado. Do outro lado, temos consumidores que lutam para fazer esta mesma transição para a nuvem", afirmou Ron Miller, do TechCrunch.

A estratégia da EMC é reunir os aspectos positivos de ambos os lados, combinando a larga escala e os "bolsos fundos" da EMC com as tecnologias avançadas da Virtustream - e outras empresas adquiridas - à sua oferta cloud.

"Se o acordo colocar a Virtustream de forma integrada dentro da corporação, esta será uma boa compra para a EMC. O problema com qualquer aquisição é o desafio de combnar companhias e culturas, e o detalhe está nos detalhes", finalizou Miller.