DEPRESSÃO

Indústria gaúcha no fundo do poço

26/02/2015 16:22

Índice de Confiança atingiu o menor valor da série histórica iniciada em 2005. 

Índice de Confiança atingiu o menor valor da série histórica iniciada em 2005. Foto: lassedesignen/Shutterstock.

Tamanho da fonte: -A+A

O Índice de Confiança do Empresário Industrial gaúcho (ICEI-RS) recuou de 44,4 para 37,3 pontos na passagem de janeiro para fevereiro, atingindo o menor valor da série histórica iniciada em 2005. 

Este ciclo de queda, que soma 11 meses, é o mais longo já registrado. 

“A indústria está fragilizada há algum tempo, agora terá de enfrentar aumento de custos, como nos preços dos combustíveis e energia elétrica, aperto na taxa juros e retirada dos incentivos. Tudo isso está ocorrendo num ambiente de desaceleração econômica e inflação elevada”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller. 

Elaborado mensalmente pela entidade, o levantamento varia numa escala de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos denotam otimismo e, abaixo, pessimismo. 

O resultado de fevereiro foi influenciado principalmente pela percepção dos empresários em relação ao indicador das condições atuais, que recuou 4,3 pontos em comparação com o mês anterior, totalizando 31,6 pontos. 

Neste item, a pressão ocorreu pela piora nas avaliações dos industriais sobre a situação da economia brasileira (de 25,3 para 19,7 pontos) e da própria empresa (de 41,2 para 37,5 pontos). 

"O cenário que já era desfavorável para a economia brasileira torna-se alarmante com a possibilidade de racionamento de energia e água", comentou Müller. 

Nessa base de comparação, as perspectivas para os próximos seis meses levaram todos os índices a valores mínimos históricos. 

O indicador de expectativas retraiu de 48,5 para 40,2 pontos, impactado, sobretudo, pela degradação do cenário econômico nacional, que encolheu 11,3 pontos e atingiu 26 pontos. 

Além disso, pela primeira vez, o ICEI-RS detectou falta de confiança com o futuro dos negócios empresariais, que ficou abaixo da linha dos 50 pontos.

Veja também

GRAU DE INVESTIMENTO
Moody’s rebaixa nota da Petrobras

O rating de crédito corporativo da Petrobras foi rebaixado em dois graus (de Baa3 para Ba2).

2015
Investidores esperam queda de 0,5% no PIB

A estimativa da dívida líquida do setor público ficou em 37,9% do PIB.